segunda-feira, 27 de junho de 2022

A solenidade de premiação acontece na sede do Sebrae Nacional, em Brasília, na próxima terça-feira (28). 

Na próxima terça-feira (28), acontece a premiação da etapa nacional da XI edição do Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor (PSPE), com a presença dos prefeitos vencedores das etapas estaduais de todo o Brasil. O evento será realizado presencialmente na sede do Sebrae Nacional, em Brasília, a partir das 19h, com credenciamento marcado para as 18h.  

Prefeito de São Luís, Eduardo Braide é um dos finalistas do PSPE Nacional. 

A premiação marca os 20 anos da iniciativa, que, desde 2001, reconhece os gestores públicos comprometidos com o desenvolvimento socioeconômico dos municípios, a partir de projetos que estimulam o empreendedorismo, a competitividade dos pequenos negócios e a modernização da gestão pública.  

Prefeito Erivelton Teixeira Neves (Carolina), concorre a final na categoria Marketing Territorial e Setores Econômicos.


Do Maranhão, concorrem ao prêmio nacional os prefeitos: Erick Augusto (Balsas), na categoria Inovação e Sustentabilidade; Erivelton Teixeira Neves (Carolina), na categoria Marketing Territorial e Setores Econômicos; Leo Cunha (Estreito), na categoria Desburocratização; Linielda Cunha (Matinha), na categoria Empreendedorismo na Escola; José Nilton Pinheiro Calvet Filho (Rosário), na categoria Compras Governamentais; Eduardo Braide (São Luís), na categoria Cidade Empreendedora e Clemilton Barros (Urbano Santos), na categoria Sala do Empreendedor. 

“O Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor vem para valorizar e reconhecer a importância de iniciativas que geram resultados de curto, médio e longo prazo e que proporcionarão mudanças significativas para o desenvolvimento local, valorizando a postura empreendedora de gestores. É válido mencionar ainda, que toda essa nossa atuação junto às prefeituras municipais, foi potencializada e tem se tornado ainda mais efetiva, por meio do Programa Cidade Empreendedora, que em seu segundo ciclo está sendo executado em 70 municípios maranhenses, dos quais 53 são atendidos por meio da parceria firmada com o Governo do Estado”, afirmou o diretor superintendente do Sebrae no Maranhão, Albertino Leal, que estará em Brasília prestigiando o evento de premiação.

Além de Albertino Leal, fazem parte da comitiva maranhense no evento, o diretor técnico do Sebrae Maranhão, Mauro Borralho; a diretora de Administração e Finanças, Rachel Jordão e o presidente do Conselho Deliberativo estadual, Celso Gonçalo, acompanhados de integrantes da equipe técnica da instituição. 

Prefeita de Matinha, Linielda Cunha, concorre na grande final do XI Prêmio Prefeito Empreendedor. 

A XI edição do Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor bateu recorde de inscrições com 1.615 projetos habilitados, de 1.327 municípios distintos. Ao todo, 183 prefeitos de todas as 27 unidades da federação foram selecionados para a etapa nacional do Prêmio, com 199 projetos inscritos, após a realização das etapas estaduais.



Informação: Sebrae MA 

SÃO LUÍS – O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (FIEMA), Edilson Baldez das Neves, recebeu a visita de cortesia do novo defensor geral do Maranhão, Gabriel Furtado, nesta segunda-feira, 27, na Casa da Indústria Albano Franco. A gestão do defensor-geral eleito e recém-nomeado Gabriel Furtado teve início em 01 de junho de 2022 e seguirá até 31 de maio de 2024.

O órgão é um parceiro de longa data do Sistema FIEMA, com quem mantém trabalhos em prol das comunidades. Um dos exemplos é a atuação conjunta com o SENAI na formação profissional destinada a pessoas em vulnerabilidade social. Outra é a parceria ocorrida com o SESI no programa Ser Pai é Legal, assim como no Programa SESI ViraVida, iniciativas que mostram como as parcerias entre a iniciativa privada e órgãos públicos podem produzir bons resultados.

Ressalte-se que a Defensoria Pública Estadual também marcou presença como expositora na Expo Indústria Maranhão 2022, feira promovida pelo sistema indústria em maio deste ano, em São Luís.

Informação: Fiema 

Conselho de micro e pequenas empresas da FIEMA discute como vender para o governo e aspectos relevantes da nova lei geral de Licitação de 2021. 

SÃO LUÍS – Os pequenos negócios podem participar das contratações públicas como um novo canal de negócios. Este foi o tema que direcionou a reunião do Conselho de Micro e Pequenas Empresas (COMPEM) da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (FIEMA), ocorrida na Casa da indústria Albano Franco nesta quinta-feira (24/06). 

A reunião presidida pelo vice-presidente executivo da FIEMA, presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae-MA, e presidente do COMPEM, Celso Gonçalo, contou com a participação do presidente do Concelho Temático de Assuntos Legislativos da FIEMA e presidente do Centro das Indústrias do Maranhão (Cimar), Cláudio Azevedo, de empresários maranhenses, do superintendente da FIEMA, César Miranda, de representantes de sindicatos filiado à FIEMA, da Administração Pública do Estado, do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Maranhão (FAEMA) e da Associação dos Criadores do Maranhão (Ascem). 

Na ocasião, o consultor especialista em licitações e contratos com o Poder Público, Wherbeth Sousa, abordou a nova lei geral de Licitações 2021, os sistemas que atualmente são utilizados para a realização de compras online, os requisitos necessários para cadastro nesses sistemas, as vantagens para MEI, ME e EPP e as hipóteses de contratação exclusiva de empresas local. 

O presidente do COMPEM, Celso Gonçalo, evidenciou que os empresários têm um desafio constante de aproveitar novas oportunidades para seus negócios e que uma das alternativas interessantes são as compras governamentais. “Nas instituições públicas esse processo é feito por licitação. O primeiro passo importante para o empresário é conhecer as regras do jogo para conseguir espaço nesse mercado promissor. Dessa maneira, a nossa reunião visou o esclarecimento dessas possibilidades para o empresário maranhense que precisa dessas oportunidades de negócio para crescer.” 

Criar alternativas para os empreendedores foi um dos pontos focais da reunião, segundo aponta a secretária adjunta da Micro e Pequena Empresa da Seinc, Luzia Rezende. “A nova lei nos mostra que vai dar mais chances para as micro e pequenas empresas participarem das licitações públicas e é basicamente isso que a gente vem trabalhando junto no Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte do Estado do Maranhão (Fopema). Junto à FIEMA poderemos trazer também essa mesma facilidade para esse micro e pequeno empresário poder efetivamente participar das compras governamentais.”  

Informação: Fiema 


A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) de maio mostra que, pelo 14º mês consecutivo, o nível de famílias endividadas caiu em São Luís. Com o percentual de 73,7% das famílias nesta condição, o resultado é o menor patamar desde maio de 2020, quando o índice era de 73,3%. Os dados apurados pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Maranhão (Fecomércio-MA) revelam ainda que, desde o início da série histórica do levantamento, nunca o grau de endividados na capital maranhense caiu por tanto tempo consecutivo.

Em maio, a Peic apresentou recuou de -0,67%, ainda assim o endividamento atingiu um 229,1 mil famílias ludovicenses. Em abril, o número daquelas que declararam estar endividadas foi de 230,4 mil, ou seja, uma redução absoluta de 1,3 mil famílias, na passagem mensal.

Outro dado importante apresentado pela pesquisa é que desde janeiro de 2022, o nível de endividamento em São Luís é menor que a média das capitais. No Brasil, cerca de 12,7 milhões de famílias se declaram estar endividadas. Isto representa 77,4% do total de entrevistadas, em um cenário com tendência de alta no endividamento a nível nacional, conforme apontam os dados da Confederação Nacional do Comércio (CNC).

Em relação à inadimplência em São Luís - famílias endividadas com contas em atraso - a Peic registrou aumento de +0,27% em maio, encerrando o mês com 33,4% delas declarando ter contas atrasadas. Apesar da alta suscinta, a tendência para a taxa de inadimplência na capital maranhense também é de queda, panorama que permanece desde agosto de 2021. Em nível nacional, a perspectiva é oposta, uma vez que o índice das demais capitais tem apresentado crescimento desde outubro de 2021, atingindo 28,7% das famílias no seu patamar mais recente (maio).

As causas para as quedas simultâneas do endividamento e inadimplência em São Luís estão atreladas à recuperação econômica, que ao final de 2021 passou a ter um movimento mais concreto. “Nos meses mais duros da pandemia, as famílias ludovicenses se utilizaram do crédito para financiar o consumo mensal e a manutenção do custo de vida, o que implicou em uma trajetória explosiva do endividamento. A escassez de renda naquela época também impediu que estas famílias pudessem honrar seus compromissos, levando a inadimplência a patamares excepcionais”, avalia o presidente da Fecomércio-MA, Maurício Feijó.

Nível de endividamento

Um dos fatores que contribuíram para que a Peic permanecesse a sua série de retração está ligado ao nível de endividamento (quando a renda mensal da família está comprometida com dívidas como cheques, cartões de crédito, carnês, financiamento etc.). O indicador de famílias ‘Pouco Endividadas’ cresceu +1,6% entre abril e maio, saltando de 31% para 31,5%. As famílias que declararam ‘Não ter Dívidas’ no mês também teve alta +1,9% na passagem mensal, saindo do patamar de 25,7% para 26,2%. Juntos, os dois indicadores atendem à fatia 57,7% das famílias entrevistadas.

Um dos fatores que têm retirado cada vez mais as famílias ludovicenses dos registros da inadimplência e endividamento é a crescente geração e manutenção dos empregos nos últimos meses, que possibilita a ampliação do rendimento médio na cidade. Com isso, as famílias passam a ter mais espaço na sua renda para consumir sem precisar utilizar o crédito, além de ter margem orçamentária para honrar as contas.

Cartão de crédito

O principal responsável pelo endividamento do ludovicense continua sendo o cartão de crédito, declarado por 64,4% das famílias. Seguindo a tendência da Peic, as dívidas com esta forma de pagamento também apresentaram redução na passagem mensal de -1,6%. A alta dos preços, além do encarecimento dos juros, tem modificado a percepção dos consumidores sobre a utilização do crédito, de modo a cada vez mais evitar a utilização dos cartões de crédito neste momento.

SERVIÇO:

Sugestão de sonora: Wilson França – Economista da Fecomércio-MA.

Ascom: Jovanna Abreu (98) 98353-0102 / Rosana Carneiro (98) 99126-4069.

Informação: Fecomércio-MA

José de Paiva Netto

Jornalista, radialista e escritor. 


Meu artigo de hoje visa colaborar na prevenção contra o crack, terrível droga que lamentavelmente se alastra pelo país. De acordo com pesquisa divulgada pela Confederação Nacional de Municípios (CNM), o consumo do crack disseminou-se por todas as classes sociais. 

Pari passu com as políticas públicas e os cuidados médicos aos usuários em sua luta contra a dependência química, não se pode deixar de lado a devida valorização da família — a atenção dos pais e responsáveis com as companhias de seus filhos e a imprescindível presença da Espiritualidade Ecumênica no diálogo entre pais e filhos. 

Nos idos de 1980, apresentei, na Super Rede Boa Vontade de Comunicação (rádio, TV e publicações; hoje, formada também pela internet), “Carta de um filho para o pai”, reproduzida em O Imparcial, de Monte Alto/SP. Nela, um jovem de 19 anos, a quem chamaremos de R., usuário de entorpecentes, escreve um bilhete de adeus ao seu pai. Diante da comoção dos ouvintes, determinei que o texto fosse impresso em diferentes idiomas. 

É indispensável o esclarecimento dos familiares. Por isso, nas passeatas e panfletagens, em conferências e nos meios de comunicação, orientamos os pais e os responsáveis a prestar maior atenção ao cotidiano dos filhos, às suas amizades, dúvidas, ambientes que frequentam. O caso é verídico e ocorreu num hospital de São Paulo/SP: 

Tóxicos: “Carta de um filho para o pai” 

“Acho que neste mundo ninguém procurou descrever seu próprio cemitério. Não sei como meu pai vai receber este relato, mas preciso de todas as forças enquanto é tempo. Sinto muito, meu pai. Acho que este diálogo é o último que tenho com o senhor. Sinto muito, mesmo... Sabe, pai, está em tempo de o senhor saber a verdade de que nunca desconfiou. Vou ser breve e claro, bastante objetivo. 

“O tóxico me matou. Travei conhecimento com meu assassino aos 15 anos de idade. É horrível, não, pai? Sabe como conheci essa desgraça? Por meio de um cidadão elegantemente vestido, bem elegante mesmo, e bem-falante, que me apresentou ao meu futuro assassino: a droga. 

“Eu tentei recusar, tentei mesmo, mas o cidadão mexeu com o meu brio, dizendo que eu não era homem. Não é preciso dizer mais nada, não é, pai? Ingressei no mundo do vício. 

“No começo foi o devaneio; depois as torturas, a escuridão. Não fazia nada sem que o tóxico estivesse presente. Em seguida, veio a falta de ar, o medo, as alucinações. E logo após a euforia do pico, novamente eu me sentia mais gente do que as outras pessoas, e o tóxico, meu amigo inseparável, sorria, sorria. 

“Sabe, meu pai, a gente, quando começa, acha tudo ridículo e muito engraçado. Até Deus eu achava cômico. Hoje, no leito de um hospital, reconheço que Deus é mais importante que tudo no mundo. E que sem a Sua ajuda eu não estaria escrevendo esta carta. Pai, eu só estou com 19 anos e sei que não tenho a menor chance de viver. É muito tarde para mim. Mas ao senhor, meu pai, tenho um último pedido a fazer: mostre esta carta a todos os jovens que o senhor conhece. Diga-lhes que em cada porta de escola, em cada cursinho de faculdade, em qualquer lugar, há sempre um homem elegantemente vestido e bem-falante que irá mostrar-lhes o futuro assassino e destruidor de suas vidas e que os levará à loucura e à morte, como aconteceu comigo. Por favor, faça isso, meu pai, antes que seja tarde demais para eles. 

“Perdoe-me, pai... Já sofri demais. Perdoe-me também por fazê-lo padecer pelas minhas loucuras. 

“Adeus, meu pai.” 


Algum tempo após escrever essa carta, o jovem morreu. 

Cuidar bem da juventude 

Eis por que fraternalmente advertimos: cuidemos bem de nossa juventude, como o faz a Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, porque a nenhum de nós interessa ter amanhã uma pátria de drogados, bêbados e frustrados. Queremos, isto sim, uma geração, uma civilização de homens, mulheres, jovens e crianças honrados, realizadores no Bem, amantes da Paz, da Verdade e da Justiça. É por isso que a Religião Divina trabalha incessantemente. Se o mundo quiser evoluir, precisa, antes de tudo, preparar a geração que surge com o que tiver de melhor e confiar mais nela. Já é tempo. 

A propensão dos jovens é acreditar e batalhar pelo futuro. Graças a Deus! Ainda bem! 

Informação: Legião da Boa Vontade 

sábado, 25 de junho de 2022

Torta de camarão, arroz de cuxá, peixe frito, sururu ao leite de coco e caranguejada. Esses são alguns dos pratos típicos da culinária maranhense, apreciada por quem é de São Luís e apresentada a turistas em uma profusão de novos sabores, temperos e ingredientes locais, atrativos que chamam atenção no Arraial da Cidade promovido pela Prefeitura de São Luís, na praça Maria Aragão, e que vem movimentando a economia, gerando renda e emprego a centenas de pessoas neste período junino.

A festança conta com 10 barracas inspiradas nas meias-moradas do Centro Histórico, que oferecem comidas típicas e estão sob a responsabilidade dos restaurantes locais Flor de Vinagreira, Delícias dos Chef's, A Casa do Ogro, Lulis, Matracas e Panderões (Nis Vale), Associação Maranhão Destination, Restaurante AKA, Associação Paraesportiva do Maranhão e Espaço Gourmet.

"Em uma festa de São João não pode faltar comidas típicas, e a gestão do prefeito Eduardo Braide abre espaço no Arraial da Cidade para os restaurantes locais, food trucks e ambulantes mostrarem o que há de melhor em nossa culinária. Tanto os maranhenses quanto os turistas estão convidados a degustar essas delícias, que são também um incentivo aos empreendedores locais que trabalham na área de renda e emprego nesta época do ano", pontua o secretário de Cultura, Marco Duailibe.

‘Lulis’ é uma das barracas presentes no Arraial da Cidade. O nome é em homenagem ao apelido da pequena Sophie, 2 anos, filha da chefe confeiteira Mariana Diniz e do empreendedor José Eduardo Fuentes, que juntos são os gestores do restaurante que em seu nome homenageia a filha do casal. Mariana Diniz é natural de Mirinzal e fez mestrado no Chile, onde conheceu o marido José Eduardo. Faz dois anos que eles voltaram para o Brasil e, desde abril deste ano, abriram o restaurante com entrega delivery. "Prezamos por um bom atendimento e fazemos pesquisa para deixar nosso cardápio do jeito que o cliente gosta. Vale a pena quando fazemos com amor. A alegria do confeiteiro e do cozinheiro é ver o prato limpo", compartilha Mariana.

Um mês inteiro conhecendo o Maranhão. Essa é a proposta do aposentado Jordan Campos, que veio de Manaus com a esposa Jacilda Campos e está em São Luís desde o início de junho. Nesse período, eles já visitaram também as cidades de Santo Amaro, Barreirinhas, Atins, São José de Ribamar e Alcântara. "A gente vem para cá quase todo ano. É melhor do que ir para a cidade de Parintins (AM), que só tem dois tipos de bois. Aqui tem uma variedade maior de danças. Adoramos tudo do folclore. Sem falar na comida, que é muito gostosa, como o arroz de cuxá e as tortas de camarão e caranguejo. O camarão daqui é diferente, não sei, tem um sabor peculiar", revela Jordan Campos.

Homenagens a São João

O Dia de São João (24) no Arraial da Cidade, na Praça Maria Aragão, teve muita alegria e homenagens com as apresentações do Coral Libras, na Unidade de Educação Básica Escola Bilíngue, e no Arraial da Cidade fizeram a festa o Coco Pirinã, Grupo Piaçaba, boi da Madre Deus, show com Rosa Reis, boi Famosão de São João de Humberto Campos, cacuriá do Jhon e bois Pirilampo e de Axixá. No Barracão do Forró, se apresentaram os grupos Cabozé, Forró Pesado e Trio Poeirão.

 

Neste sábado (25), se apresentam o tambor de crioula mirim Arte Nossa, a quadrilha Mocinha do Sertão, boi de Guimarães, show com Fernando de Carvalho e bois Novilho Branco, de Nina Rodrigues, da Pindoba e de Morros. Os grupos Não Gela, Forró Pegado e Trio Bom Demais agitam a galera no Barracão do Forró.

Informação: Agência São Luís

sexta-feira, 24 de junho de 2022

O Porto do Itaqui é o porto brasileiro nota 10, de acordo com o Ranking do Índice da Gestão das Autoridades Portuárias – IGAP, principal categoria do Prêmio Portos + Brasil 2022, do Ministério de Infraestrutura. O Itaqui também foi premiado em Execução de Investimentos Planejados, Variação do lucro operacional Ebitda e Crescimento da Movimentação de Cargas dos Portos Públicos, em um total de quatro das cinco categorias dedicadas aos portos públicos.

O diretor de Administração e Finanças da Empresa Maranhense de Administração Portuária (EMAP), Artur Thiago Costa, esteve em Brasília para a cerimônia de premiação, que contou com a presença do secretário nacional de portos, Mário Povia, do secretário executivo do Ministério da Infraestrutura, Bruno Eustáquio e do diretor geral da Antaq, Eduardo Nery, dentre outras autoridades. 

“Esse resultado é o reconhecimento do trabalho de um grande time que abrange a equipe da EMAP e todos os que atuam na comunidade portuária do Itaqui, trabalhadores portuários, operadores, arrendatários, agentes marítimos, praticagem e representantes dos órgãos anuentes”, afirmou. “Um trabalho que vem se consolidando em oito anos ininterruptos, tendo iniciado em 2015 com o governador Flávio Dino e que se consolida sob a gestão do governador Carlos Brandão, sempre focada em melhorar continuamente, com responsabilidade social e ambiental para contribuir com o desenvolvimento do Maranhão e de toda a região influenciada pela atividade portuária”, completa.

Performance vitoriosa

No Ranking do Índice da Gestão das Autoridades Portuárias (IGAP), indicador que avalia o nível de eficiência operacional, de eficiência administrativa, de manutenção de acessos aquaviários, de execução orçamentária de investimento, dentre outros, o Itaqui ficou no topo, com nota 10, ao lado dos Portos do Paraná. “Essa premiação mostra que é possível ter uma gestão pública de excelência, em parceria com a iniciativa privada”, afirma Ted Lago, presidente da EMAP. “Esperamos que nosso modelo de negócio possa servir de referência não só para o setor portuário, mas para o desenvolvimento de infraestrutura em todo o Brasil”, diz.

Em 2021 a gestão do Porto do Itaqui executou 83,5% do orçamento planejado para o período, o que garantiu o segundo lugar na categoria Execução de Investimentos Planejados e segundo lugar também em Crescimento da Movimentação de Cargas dos Portos Públicos, com mais de 31 milhões de toneladas de cargas movimentadas e alta de 23% em relação ao ano anterior. 

Ao todo, foram 24 marcas históricas superadas em 2021, com destaque para a soja, que bateu as 10 milhões de toneladas; os combustíveis, que chegaram às 9,9 milhões de toneladas, e os fertilizantes, com 3,3 milhões de toneladas movimentadas. Só as cargas de granéis líquidos tiveram um aumento de 56%; os granéis sólidos cresceram 12% e a carga geral ficou 8% acima do volume registrado em 2020. E por fim, na categoria Variação do lucro operacional Ebtida, o porto do Itaqui ficou em 3º lugar, com variação de 63,2% de 2020 para 2021.

No ano passado, a EMAP recebeu o Prêmio Portos + Brasil no Ranking do Índice de Gestão das Autoridades Portuárias (IGAP) com a segunda melhor nota do país, ao lado do Porto de Santos. 

O ranking nacional do IGAP é avaliado com base no Índice de Gestão das Autoridades Portuárias (IGAP), que é composto por 15 subíndices, levando em consideração o retorno sobre o capital, eficiência operacional, administrativa, manutenção dos acessos aquaviários, atendimento às notificações da ANTAQ, transparência, entre outros aspectos e a gestão do Itaqui foi mais uma vez nacionalmente reconhecida como uma das mais eficientes do país.

No total foram avaliados todos os 36 portos públicos do país, além dos portos privados em suas categorias específicas. As demais categorias do Prêmio são Crescimento da Movimentação Granel Sólido Agrícola; Crescimento da Movimentação Granel Sólido Mineral; Crescimento da Movimentação Granel Líquido; Crescimento da Movimentação Container; e Avanço Igap.

O Prêmio Portos + Brasil tem como principal objetivo avaliar e destacar os melhores portos públicos do Brasil.

Informação: MA.gov