CAMPANHA: IPTU 2018

quarta-feira, 15 de agosto de 2018

Representantes de sítios culturais reconhecidos pela Unesco acompanham palestra sobre acesso a crédito para projetos de turismo


O Prodetur + Turismo, que proporciona crédito a estados, municípios e empresários para melhorias na área, foi um dos temas desta terça-feira (14) do Seminário Internacional Gestão de Sítios Culturais do Patrimônio Mundial no Brasil, na Cidade de Goiás (GO). O coordenador de Mapeamento e Gestão Territorial do MTur, Eduardo Madeira, detalhou o programa a representantes de sítios culturais brasileiros reconhecidos como Patrimônio Mundial pela Unesco e que têm no projeto uma chance de captar investimentos.

No evento, organizado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Madeira enfatizou que avanços no turismo exigem o envolvimento de todos os atores ligados à atividade e incentivou a procura por empréstimos. “A palavra de ordem é parceria. O que a gente está proporcionando é um modelo inédito de consultoria e apoio a projetos de desenvolvimento do turismo. É um programa includente que gera emprego e melhora o ambiente de negócios”, destacou.

O coordenador citou iniciativas elegíveis e os critérios de adesão ao programa, lançado no mês de abril deste ano e que oferece orientações do Sebrae e do BNDES para acesso a um total de R$ 5 bilhões em crédito. Ele ressaltou que o projeto já recebeu 44 propostas de 13 estados, representando um valor de R$ 1,6 bilhão sob análise. Madeira informou que um Call Center tira dúvidas sobre o programa, pelo número 0800 200 8484, além do e-mail atendimento.prodetur@turismo.gov.br.

Luiz Eduardo Longhi, superintendente de Patrimônio Cultural do Estado do Maranhão, apontou possíveis benefícios do Prodetur + Turismo ao desenvolvimento do Centro Histórico de São Luís, um dos Patrimônios Mundiais do país. “Isso ajuda a qualificar o espaço urbano e, consequentemente, o desenvolvimento sustentável do Centro, atraindo turistas e toda a riqueza gerada pelo turismo. É um programa primordial, pelo fato de que estamos trabalhando em áreas que carecem desses recursos”, justificou.

Também presente ao encontro, Luciane Gorgulho, chefe do Departamento de Economia da Cultura do BNDES, relatou investimentos no patrimônio cultural brasileiro. Ela informou que o banco já aplicou R$ 614 milhões na área desde 1997 e citou o Museu de Congonhas (MG) como exemplo bem-sucedido da atuação conjunta com o Iphan. “É um dos projetos onde a gente percebe o quanto a existência do museu gerou de impacto econômico, como na criação de pousadas, restaurantes e no PIB na cidade”, observou.

Nesta quarta-feira, último dia do evento, os ministros do Turismo, Vinicius Lummertz, da Cultura, Sérgio Sá Leitão, do Meio Ambiente, Edson Gonçalves Duarte, e das Cidades, Alexandre Baldi, assinarão a Carta de Goiás. O documento, que também envolve o Iphan e 14 sítios reconhecidos pela Unesco, busca manter investimentos na requalificação de centros históricos. Será firmado ainda um protocolo de intenções entre MTur e Iphan para a definição da Política Nacional de Gestão Turística do Patrimônio Mundial, que incentivará a criação de produtos e a integração com o setor privado.

EXEMPLOS - O evento em Goiás reúne especialistas para um intercâmbio sobre gestão. Um dos cases expostos foi o dos Centros de Informação e Interpretação de Portugal, nos quais visitantes obtém dados a respeito de destinos históricos. António Ponte, diretor de Cultura do Norte português, abordou o crescimento do turismo na Igreja e Torre dos Clérigos, na cidade do Porto, após a implantação de uma unidade do tipo.

Ponte citou o aproveitamento de sítios reconhecidos pela Unesco como essencial ao desenvolvimento. “O patrimônio cultural baseia o crescimento econômico por meio do turismo, que induz uma economia paralela de hotéis, restaurantes e transportes, por exemplo. O potencial científico, pedagógico, turístico e econômico do Patrimônio Mundial é fator incontornável para qualquer estratégia de desenvolvimento sustentável das comunidades envolvidas”, salientou.

O encontro também contou com apresentações sobre o Centro Histórico de Guimarães, da Região Vinhateira do Alto Douro e do Mosteiro de São João de Tarouca, em Portugal, além do conjunto de monumentos de Cartagena, na Colômbia; da cidade histórica de Morelia, no México; do patrimônio histórico de Castilla y Leon, na Espanha, e da própria Cidade de Goiás, sede do evento.

Fonte: Mtur
Programa de cooperação técnica entre Brasil e Estados Unidos, firmado nesta terça-feira, deve investir 80 milhões de dólares na região até 2024.


O programa de cooperação técnica Brasil-Estados Unidos intensificará a atuação na conservação dos recursos biológicos da Amazônia, investindo até 80 milhões de dólares nos próximos cinco anos. O programa, previsto para seguir até 2024, vai atuar em três eixos: fortalecimento da conservação da biodiversidade em unidades de conservação; proteção de terras indígenas e seus recursos naturais; e aplicação de ciência, tecnologia e inovação para a conservação da biodiversidade.

O documento que implementa o projeto e seu plano de trabalho foi assinado nesta terça-feira (14), em Brasília-DF, pelo ministro do Meio Ambiente, Edson Duarte; pelo diretor da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (Usaid Brasil), Michael Eddy; e pelo embaixador João Almino, diretor da Agência Brasileira de Cooperação (ABC). Além dos presidentes do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, Paulo Carneiro, e da Fundação Nacional do Índio (Funai), Wallace Moreira Bastos.

O Ministério do Meio Ambiente, o ICMBio e a Funai são os beneficiários imediatos da cooperação, que inclui troca de experiências e colaboração técnica especializada, visando alcançar a conservação da biodiversidade fortalecida em áreas protegidas prioritárias e mosaicos na Amazônia; apoiar a Política Nacional de Manejo de Terras e Meio Ambiente em Terras Indígenas; apoiar iniciativas de ciência, tecnologia e inovação, empreendidas pelo governo brasileiro, aplicadas para a conservação de recursos biológicos em áreas protegidas.

O Comitê gestor será composto pelo presidente do ICMBio e pelos titulares da Secretaria de Biodiversidade do MMA, da Funai, da ABC e da USAID Brasil. Como convidados, participam do grupo os titulares da Secretaria de Extrativismo e Desenvolvimento Rural Sustentável e do Departamento de Recursos Externos do MMA.

Firmada em 2014, a cooperação, alinhada ao programa Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa), teve seu período de vigência, inicialmente previsto para cinco anos, estendido até 2024.

Fonte: MMA
terça-feira, 14 de agosto de 2018
Trabalho realizado em parceria com associações comunitárias, instituições e poder público beneficiou mais de 6 mil famílias

Os investimentos sociais realizados pela Vale e Fundação Vale neste primeiro semestre beneficiaram 6.859 famílias em todo o estado. Ao todo, foram R$ 15,5 milhões em projetos implementados em parceria com associações comunitárias, instituições e poder público ao longo da Estrada de Ferro Carajás (EFC). O anúncio foi feito nesta terça-feira pela empresa, que também comunicou a conclusão das obras de expansão da EFC.  

A construção de cada iniciativa tem como base o diálogo e a participação ativa dos membros da comunidade. O apoio técnico é feito por parceiros que compartilham dos mesmos princípios de desenvolvimento comunitário e estão presentes nas localidades onde os projetos estão implementados.

Um dos destaques do semestre foi a entrega de 100 casas para famílias que vivem na comunidade de Cariongo III, em Miranda do Norte (MA). A parceria foi realizada com a Prefeitura Municipal de Miranda do Norte e Associação dos Moradores de Cariongo III. O investimento, realizado pela Fundação Vale, incluiu além das casas, sistema de fornecimento de energia e água e rede com iluminação pública.

Até o final de 2018 serão investidos mais R$ 2,7 milhões em projetos sociais ao longo da ferrovia, beneficiando mais de 3,2 mil famílias.  

Conheça alguns dos projetos:

Inhaúma Sustentável

Sustentabilidade e cuidado com o meio ambiente são as premissas deste projeto realizado em  São Luís, na região Itaqui-Bacanga. A estruturação de um núcleo produtivo de trabalho permite a transformação de garrafas pet em vassouras de qualidade, gerando renda e retirando de circulação toneladas de plástico nocivos ao meio ambiente.

Investimentos realizados: infraestrutura, maquinário, capacitação e apoio na comercialização. Parceria: Grupo de Apoio às Comunidades Carentes do Maranhão.

17 famílias beneficiadas

COOPVILA

Projeto desenvolvido com moradores da Vila Maranhão. Antes, os catadores se organizavam para coletar e vender resíduos de madeira e metal. Com apoio da Vale, receberam formação e assessoramento em diversas áreas como: gestão, vendas, segregação de resíduos, produção de móveis e de carvão ecológico.

A Vale apoiou com investimentos na renovação do maquinário, capacitação em saúde, segurança do trabalho e marketing de vendas. Todo o resíduo utilizado como matéria prima é doado pela Vale.

15 cooperativados

Programa de Desenvolvimento do Território

Implantação de projetos voltados à geração de renda na Vila Ildemar, bairro vizinho às operações da Vale em Açailândia (MA). Parte da produção das hortas é vendida à prefeitura para uso na merenda escolar e ainda nas feiras da cidade, gerando renda para as famílias envolvidas.

Entre os investimentos feitos pela Vale estão: doação das estufas, capacitação técnica e  aquinário para irrigação. Parceria com o Sebrae Maranhão.

150 pessoas diretamente beneficiadas

Geração de Trabalho e Renda e Rede Mulheres do Maranhão

O AGIR EFC criou alternativas de geração de renda para ambulantes informais ao longo de 7 municípios da EFC, incubando e acelerando negócios sociais coletivos, promovendo alternativas sustentáveis de trabalho e inclusão sócio produtiva das pessoas envolvidas, contribuindo para o desenvolvimento local com a geração de postos de trabalho e incrementando a renda nas comunidades.

Como desdobramento do AGIR EFC, com forte ênfase no empoderamento econômico de mulheres, a Rede Mulheres do Maranhão é um coletivo de mulheres empreendedoras que atuam em negócios sociais localizados em comunidades no entorno da EFC, participando de forma ativa e contribuindo para o fortalecimento da cadeia produtiva dos produtos da sociobiodiversidade.

Outros projetos realizados entre janeiro e junho no Maranhão:

Coquemel - produção de mel na comunidade de Coqueiro - São Luís

Hortas que Valem - São Luís

Gostosuras do Campo - Bacabeira

Construçao de Casas de Farinha - Arari

Apoio no Cultivo de Hortaliças - Buriticupu

Consultoria e Apoio à Produção Rural - Alto Alegre do Pindaré, Tufilândia e São Pedro da Água Branca.


GRANDE ILHA – A UFMA recebeu, na manhã desta terça-feira, 14, do Ministério da Educação e da Secretaria da Comissão Interministerial para Recursos do Mar da Marinha do Brasil, o Navio Ciências do Mar II, que servirá como laboratório para os cursos ligados à área de Ciências do Mar, como Oceanografia, Engenharia de Pesca, Geografia, Biologia, entre outros. A cerimônia de entrega ocorreu na Base da Capitania dos Portos, na Ponta da Espera. Durante a solenidade, o ministro da Educação, Rosseli Soares, e as reitoras da Federal do Maranhão, Nair Portela, e do Rio Grande (FURG), Cleuza Maria Sobral, assinaram o termo de doação do navio, na presença de reitores das diversas Instituições do Piauí e da região Norte, professores, técnicos, alunos e colaboradores da Universidade.

A embarcação tem capacidade para 26 pessoas, entre alunos e professores, além de oito tripulantes. Sob gestão da UFMA e coordenado pelo Instituto de Ciências do Mar da Universidade, o navio facilitará as aulas práticas e a formação dos estudantes de ciências marítimas, permitindo o anseio e a operação de equipamentos de uso rotineiro em atividades científicas, como coleta, processamento e armazenamento de amostras biológicas e de dados. O Ciências do Mar II beneficiará alunos e professores das instituições da região Norte do Brasil, além do Maranhão e do Piauí.

Esta é a segunda embarcação do Projeto “Laboratório Flutuante” de iniciativa da FURG, a ser entregue. O primeiro foi inaugurado no ano passado e está sob gestão da FURG, enquanto que os navios III e IV ficarão sob custódia das Universidades Federais Fluminense e de Pernambuco, respectivamente.


Imagem: Marcus Elicius

Informação: bncnoticias.com

Para além das areias, esconde-se a cidade de Utopia. Acreditando nessa possibilidade, o jovem Agon embarca em uma aventura pelo deserto infinito. Pó, de Felipe Correa, nos traz um roteiro com imagens que possuem um forte paralelo com a realidade e nos forçam a refletir. O Sesc, um dos principais fomentadores da produção e propagação artístico-cultural,  sedia o lançamento do livro nesta sexta-feira, dia 17 de agosto, das 18 às 20h30, na Sala Sesc de Exposições, na Avenida dos Holandeses.

Em “Pó”, o mundo que conhecemos acabou. Num pequeno e insignificante ponto, uma cidade, chamada Oásis, suporta o que restou da Terra. Cercada por muros, uma população vive em uma organização social permanente que garante sua perenidade por meio de pedaços de escritos resgatados do mundo antigo. A cidade desenvolveu sua própria cultura, hábitos e costumes, mas uma ideia pairava sobre eles: Utopia, uma lenda sobre uma cidade lendária, perfeita em todos os aspectos. Um grupo de dissidentes acredita que a cidade lendária se encontrava para além daquelas muralhas, lançando-se em uma grande e perigosa aventura pelo deserto infinito.

Felipe Corrêa é escritor e ator. Em 2014 foi premiado no 35° Concurso Literário Cidade de São Luís na categoria Peça Teatral com a obra “Post Mortem” e na edição seguinte do mesmo certame (2015) foi agraciado com o primeiro lugar nas categorias Peça Teatral com “Soleil Levant” e Novela com “Pó”. Em 2017 ficou responsável pela dramaturgia do espetáculo João do Vale – O Musical, a convite do Teatro Arthur Azevedo. No mesmo ano publicou a peça “Die Brücke” pela Editora Viseu.

LANÇAMENTO DO LIVRO ‘PÓ’ DE FELIPE CORRÊA

Data: 17/08 (sexta-feira)
Local: Sala Sesc de Exposições
Horário: 18h as 20h30 

Informação: Sesc MA 

Publicações na Alemanha e no Reino Unido oferecem opções de viagens para destinos do Nordeste, Sul e Sudeste, com destaque para Paraty e João Pessoa

Na última semana, destinos brasileiros ganharam lugar de destaque na imprensa europeia. Com ênfase em sugestões para viagens de férias, três veículos, um da Alemanha (Travel Zoo) e os outros do Reino Unido (The Spectator e The Telegraph), apresentaram opções de atrativos turísticos brasileiros em cidades como Rio de Janeiro, Paraty e João Pessoa, e as Cataratas do Iguaçu.

“As avaliações positivas dos destinos brasileiros mostram que somos um País importante para o turismo internacional. Além de agregar valor, ajuda a enaltecer os aspectos regionais de cada destino. O reconhecimento de veículos renomados é fundamental para que mais viajantes se sintam atraídos em conhecer o Brasil”, destacou a presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Teté Bezerra.

O site de viagens Travel Zoo, voltado para o público alemão, destacou a capital carioca na publicação intitulada “Samba, Sol e Praia”. De acordo com o veículo, o Rio de Janeiro desperta emoções e se apresenta como um destino completo: com praias, diversões noturnas e monumentos únicos. O Cristo Redentor, o Pão de Açúcar e o desfile de escolas de samba durante o Carnaval foram os atrativos ilustrados na matéria. O portal indica, ainda, uma viagem a Paraty e às Cataratas do Iguaçu.

Da cidade fluminense, o Travel Zoo destaca a arquitetura colonial do século XVIII como uma inspiração para, principalmente, artistas. Sobre as Cataratas, a dica é para o visitante se encantar com as águas, que “juntas formam um verdadeiro espetáculo natural”. Além disso, o site fala sobre as ricas fauna e flora do Parque Nacional do Iguaçu.

Já o The Telegraph, do Reino Unido, apresenta 14 destinos de férias que possuem belas vistas aéreas. O veículo incluiu o Brasil na lista destacando uma imagem da Praia de Tambaú, em João Pessoa. Com um registro de drone, o portal mostrou a capital paraibana, “também conhecida como a cidade onde o sol nasce primeiro, por ser considerada a mais oriental das Américas”.

A diversidade cultural brasileira também foi apontada no site do inglês The Spectator. O veículo falou da grande influência africana que há no segmento, como a capoeira. A cachaça, a feijoada e o ritmo da Bossa Nova foram alguns dos itens apontados pelo jornalista do portal.

Informações dos mercados

Os dois países, Alemanha e Reino Unido, ocupam a 7ª e a 8ª posição na lista dos que mais visitaram o Brasil em 2017, respectivamente, de acordo com o Anuário Estatístico do Ministério do Turismo. Mais de 200 mil alemães estiveram nos destinos brasileiros no ano passado. O número de ingleses foi de 185.858.

Dos turistas da Alemanha que vieram a Lazer para o Brasil, 47% escolheram destinos de Natureza, Ecoturismo ou Turismo de Aventura, seguidos de Sol e Praia (30%). Os franceses (cerca de 40%) preferiram Sol e Praia. De acordo com a Demanda Turística do Ministério, ambos escolheram como os preferidos dos destinos a Lazer Rio de Janeiro, Foz do Iguaçu e São Paulo. 

Informação: Embratur
Fiscais do Ministérios do Turismo visitarão estabelecimentos de Búzios, Cabo Frio e Arraial do Cabo até sexta-feira (17) para verificar registro no Cadastur


Os destinos turísticos de Búzios, Cabo Frio e Arraial do Cabo receberão nesta semana a visita de fiscais do Ministério do Turismo.  O objetivo da ação é sensibilizar os prestadores de serviço sobre a importância da formalização do setor e, consequentemente, garantir a ampliação do número de pessoas físicas e jurídicas no cadastro de prestadores de serviços turísticos: o Cadastur.

O trabalho terá início nesta segunda-feira (13) e terminará na sexta-feira (17). A ação é feita em parceria com as secretarias municipais de turismo. A fiscalização é realizada para acompanhar a nova versão da ferramenta lançada em março deste ano. Totalmente modernizado, o Cadastur 3.0 possibilita que a inscrição seja inteiramente eletrônica, feita em uma interface amigável e interligada ao banco de dados da Receita Federal, trazendo menos burocracia e mais rapidez para quem deseja estar formalizado.

Com a medida, a expectativa do Ministério do Turismo é garantir o cadastro dos meios de hospedagem em funcionamento nas cidades. O cadastro também é obrigatório para outras seis categorias – agência de turismo, parque temático, acampamento turístico, organizadora de eventos, guia de turismo e transportadora turística.

Informação: Mtur



Hotel Pousada do Buriti

Hotel Pousada do Buriti
Barreirinhas- Maranhão

Cidadão limpeza

Yes

Posseidon Hotel Ltda

DUVEL

DUVEL
CALHAU AV. DOS HOLANDESES, QUADRA 29, Nº08, RETORNO DO CALHAU - CALHAU TELEFONE: (98) 2108-3000

Colégio Batista

Colégio Batista