segunda-feira, 10 de dezembro de 2018
Evento organizado pela gestão do prefeito Edivaldo foi realizado no Parque do Bom Menino e uniu estudantes de escolas públicas municipais, comunitárias e integrantes de instituições atendidas pela Prefeitura em uma manhã de lazer e práticas esportivas


Movimento, interação e socialização através do esporte deram o tom da grande festa de encerramento do 1º Festival Esportivo realizado pela Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (Semdel). A culminância do evento reuniu, nesse fim de semana, no Parque do Bom Menino, cerca de 1.500 crianças e adolescentes de escolas públicas municipais, comunitárias e integrantes de instituições atendidas pelo Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV), mantido pela Secretaria da Criança e Assistência Social (Semcas), para a prática das mais diversas atividades esportivas. A ação, realizada por orientação do prefeito Edivaldo Holanda Júnior, tem como foco despertar o estímulo ao esporte e criar alternativa de diversão e promoção de cidadania. Na ocasião, a Prefeitura distribuiu kits esportivos às escolas e instituições participantes, compostos por bolas de futebol, futsal, handebol e basquete, 10 cones e pandeiros para as atividades de capoeira.

Segundo o titular da Semdel, Rommeo Amin,que esteve presente no encerramento do evento, o 1º Festival Esportivo correspondeu plenamente às expectativas da organização, em termos de número de participações e objetivo almejado. "As modalidades foram desenvolvidas por meio de circuitos não competitivos, porque a nossa intenção é trabalhar a interação, a inclusão social e os valores importantes para a construção da cidadania dessas crianças. E o nosso propósito, por determinação do prefeito Edivaldo, é expandir o projeto para podermos atender um número cada vez maior de crianças e adolescentes", ressaltou Rommeo Amin.


No encerramento, as crianças participaram de disputas nas modalidades de futebol, futsal, atletismo, basquete, capoeira, futebol de campo, handebol e voleibol. As competições foram realizadas nas diversas quadras e áreas do Parque do Bom Menino. O encerramento do evento contou ainda com atividades recreativas e educativas, orientadas por cerca de 30 monitores e sete coordenadores.

Parte dos meninos e meninas que participam do Festival é oriunda de Núcleos com atividades atendidas e conveniadas com a Prefeitura de São Luís, a exemplo do Programa Movimento e Resgate, da Semdel, que leva atividades esportivas e recreativas a crianças de vários bairros de São Luís. Todo o material utilizado no Festival para as práticas esportivas - bolas, redes, equipamentos de proteção e demais acessórios - foi fornecido pela Semdel. As crianças participantes do evento também receberam lanche ao final das atividades.

Congregando esporte, diversão e a cidadania, o 1º Festival Esportivo realizado pela Prefeitura de São Luís iniciou no dia 17 de novembro, com atividades desenvolvidas em quatro fins de semanas consecutivos. Participaram crianças e adolescentes na faixa etária dos 7 aos 15 anos. Todas as atividades desenvolvidas foram realizadas em uma perspectiva da ludicidade, da socialização e da integração, motivo pela qual não houve distribuição de medalhas e troféus. "Aqui não há vencidos, todos são vencedores. Só o fato de estarem aqui participando de uma ação esportiva, brincando e se socializando já é um grande passo que essas crianças dão", frisou Rommeo Amin.


Ainda conforme o secretário, a ação visa ainda estimular as habilidades dos participantes, oportunizando a eles experimentar as modalidades esportivas que quiserem. Foi assim que a estudante Heloísa Marques, 8 anos, uma das crianças participantes do Festival, descobriu que tem grande potencial para o atletismo. "Participei de várias atividades, mas gostei mesmo foi de corrida. Agora quero praticar mais e, quem sabe, me tornar uma corredora no atletismo", disse a menina.


Já o estudante Mateus Oliveira, 12 anos, já sabe muito bem o que quer. Futebol é a sua grande paixão e para se transformar no atleta de grande performance que pretende ser ele já pratica regularmente a modalidade no Programa Movimento Resgate. "Futebol é tudo pra mim. E eu adorei participar do Festival porque tive várias oportunidades de competir e treinar ainda mais", relatou o garoto.

Com o tema “Trabalho em equipe: sucesso e superação”, palestra terá início às 10h.

A Reitoria do Instituto Federal do Maranhão (IFMA) receberá nesta terça-feira (11) o medalhista olímpico Marcelo Negrão, que vai ministrar uma palestra com o tema “Trabalho em equipe: sucesso e superação”, às 10h. Na palestra, o esportista conta sua trajetória de vida, tanto no aspecto pessoal, quanto profissional, e aborda de forma dinâmica estratégias para o êxito do trabalho em equipe e superação de desafios.

Uma das estrelas do esporte nacional na década de 90, Marcelo Negrão viveu de perto o processo de crescimento do voleibol brasileiro. Aos 19 anos, compôs o elenco que fez história nos Jogos de Barcelona-1992, conquistando o primeiro ouro em esportes coletivos do País em uma Olimpíada e, no ano seguinte, foi eleito o melhor jogador do mundo.

Na ocasião, o IFMA vai realizar o lançamento do Planejamento Estratégico 2016-2020, que tem o objetivo de aprimorar as ações e processos institucionais e possibilitar o alcance de sua missão institucional, que é “promover educação profissional, científica e tecnológica comprometida com a formação cidadã para o desenvolvimento sustentável”.

SERVIÇO

O quê: Palestra “Trabalho em equipe: sucesso e superação”, com o medalhista olímpico Marcelo Negrão

Onde: Auditório da Reitoria do IFMA, situada na Avenida Colares Moreira, 477, Renascença, São Luís – MA

Quando: Dia 11 de dezembro (terça-feira), às 10h.


O Parque Botânico Vale será palco da exposição "Olhares em Preto e Branco", uma mostra fotográfica que reúne imagens apresentadas na XXX Bienal de Arte Fotográfica em Preto e Branco, ocorrida neste semestre no Rio Grande do Sul. Nesta coletânea o público poderá conferir 14 fotos, algumas delas premiadas durante a bienal, como é o caso de "Taquileña", que retrata as festividades de emancipação da ilha de Taquile, no Lago Titicaca, no Peru. A foto é de autoria do maranhense Thiago Gleria. A abertura da exposição acontece neste sábado, 15/12, às 10h, e ficará em cartaz até 15 de janeiro de 2019.

 As fotos que compõem a exposição "Olhares em Preto e Branco" são assinadas por artistas amadores e profissionais que integram o fotoclube Poesia do Olhar, sediado em São Luís. Em seu site oficial, a entidade maranhense explica que tem a proposta de reunir os apaixonados pela fotografia, amadores ou profissionais, promovendo sua interação a fim de que possam compartilhar técnicas, dúvidas, sugestões e curiosidades. O fotoclube Poesia do Olhar foi um dos participantes da XXX Bienal de Arte Fotográfica Brasileira em Preto e Branco, um misto de concurso e festival de arte fotográfica que envolve todos os fotoclubes do Brasil, e é apadrinhada pela Confederação Brasileira de Fotografia (CONFOTO).

Serviço:       

Exposição "Olhares em Preto e Branco"

Abertura: 15/12, às 10h

Em cartaz até 15/1/2019

Horário: 8h às 16h (segunda-feira a sábado)

domingo, 9 de dezembro de 2018
São comemorados no dia 10 de dezembro o dia Internacional dos Direitos Humanos e os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS

Preâmbulo:

Considerando que o reconhecimento da dignidade inerente a todos os membros da família humana e de seus direitos iguais e inalienáveis é o fundamento da liberdade, da justiça e da paz no mundo.

Considerando que o desprezo e o desrespeito pelos direitos humanos resultaram em atos bárbaros que ultrajaram a consciência da Humanidade e que o advento de um mundo em que os todos gozem de liberdade de palavra, de crença e da liberdade de viverem a salvo do temor e da necessidade foi proclamado como a mais alta aspiração do ser humano comum.

Considerando ser essencial que os direitos humanos sejam protegidos pelo império da lei, para que o ser humano não seja compelido, como último recurso, à rebelião contra a tirania e a opressão.

Considerando ser essencial promover o desenvolvimento de relações amistosas entre as nações.

Considerando que os povos das Nações Unidas reafirmaram, na Carta da ONU, sua fé nos direitos humanos fundamentais, na dignidade e no valor do ser humano e na igualdade de direitos entre homens e mulheres, e que decidiram promover o progresso social e melhores condições de vida em uma liberdade mais ampla.

Considerando que os Estados-Membros se comprometeram a promover, em cooperação com as Nações Unidas, o respeito universal aos direitos e liberdades humanas fundamentais e a observância desses direitos e liberdades.

Considerando que uma compreensão comum desses direitos e liberdades é da mais alta importância para o pleno cumprimento desse compromisso.

Agora portanto, A ASSEMBLÉIA GERAL proclama A PRESENTE DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS como o ideal comum a ser atingido por todos os povos e todas as nações, com o objetivo de que cada indivíduo e cada órgão da sociedade, tendo sempre em mente esta Declaração, se esforce, através do ensino e da educação, por promover o respeito a esses direitos e liberdades, e, pela adoção de medidas progressivas de caráter nacional e internacional, por assegurar o seu reconhecimento e a sua observância universal e efetiva, tanto entre os povos dos próprios Estados-Membros, quanto entre os povos dos territórios sob sua jurisdição.

ARTIGO 1

Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotados de razão e consciência e devem agir em relação uns aos outros com espírito de fraternidade.

ARTIGO 2

1 - Todo ser humano tem capacidade para gozar os direitos e as liberdades estabelecidos nesta Declaração, sem distinção de qualquer espécie, seja de raça, cor, sexo, idioma, religião, opinião política ou de outra natureza, origem nacional ou social, riqueza, nascimento, ou qualquer outra condição.

2 - Não será também feita nenhuma distinção fundada na condição política, jurídica ou internacional do país ou território a que pertença uma pessoa, quer se trate de um território independente, sob tutela, sem governo próprio, quer sujeito a qualquer outra limitação de soberania.

ARTIGO 3

Todo ser humano tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal.

ARTIGO 4

Ninguém será mantido em escravidão ou servidão; a escravidão e o tráfico de escravos serão proibidos em todas as suas formas.

ARTIGO 5

Ninguém será submetido à tortura nem a tratamento ou castigo cruel, desumano ou degradante.

ARTIGO 6

Todo ser humano tem o direito de ser, em todos os lugares, reconhecido como pessoa perante a lei.

ARTIGO 7

Todos são iguais perante a lei e têm direito, sem qualquer distinção, a igual proteção da lei. Todos têm direito a igual proteção contra qualquer discriminação que viole a presente Declaração e contra qualquer incitamento a tal discriminação.

ARTIGO 8

Todo ser humano tem direito a receber dos tribunais nacionais competentes remédio efetivo para os atos que violem os direitos fundamentais que lhe sejam reconhecidos pela constituição ou pela lei.

ARTIGO 9

Ninguém será arbitrariamente preso, detido ou exilado.

ARTIGO 10

Todo ser humano tem direito, em plena igualdade, a uma justa e pública audiência por parte de um tribunal independente e imparcial, para decidir sobre seus direitos e deveres ou do fundamento de qualquer acusação criminal contra ele

ARTIGO 11

1. Todo ser humano acusado de um ato delituoso tem o direito de ser presumido inocente até que a sua culpabilidade tenha sido provada de acordo com a lei, em julgamento público no qual lhe tenham sido asseguradas todas as garantias necessárias à sua defesa.

2. Ninguém poderá ser culpado por qualquer ação ou omissão que, no momento, não constituíam delito perante o direito nacional ou internacional. Também não será imposta pena mais forte do que aquela que, no momento da prática, era aplicável ao ato delituoso.

ARTIGO 12

Ninguém será sujeito à interferência em sua vida privada, em sua família, em seu lar ou em sua correspondência, nem a ataque à sua honra e reputação. Todo ser humano tem direito à proteção da lei contra tais interferências ou ataques.

ARTIGO 13

1. Todo ser humano tem direito à liberdade de locomoção e residência dentro das fronteiras de cada Estado.

2. Todo ser humano tem o direito de deixar qualquer país, inclusive o próprio, e a este regressar.

ARTIGO 14

1. Todo ser humano, vítima de perseguição, tem o direito de procurar e de gozar asilo em outros países.

2. Este direito não pode ser invocado em caso de perseguição legitimamente motivada por crimes de direito comum ou por atos contrários aos objetivos e princípios das Nações Unidas.

ARTIGO 15

1. Todo homem tem direito a uma nacionalidade.

2. Ninguém será arbitrariamente privado de sua nacionalidade, nem do direito de mudar de nacionalidade.

ARTIGO 16

1. Os homens e mulheres de maior idade, sem qualquer restrição de raça, nacionalidade ou religião, têm o direito de contrair matrimônio e fundar uma família. Gozam de iguais direitos em relação ao casamento, sua duração e sua dissolução.

2. O casamento não será válido senão com o livre e pleno consentimento dos nubentes.

3. A família é o núcleo natural e fundamental da sociedade e tem direito à proteção da sociedade e do Estado.

ARTIGO 17

1. Todo ser humano tem direito à propriedade, só ou em sociedade com outros.

2. Ninguém será arbitrariamente privado de sua propriedade.

ARTIGO 18

Todo ser humano tem direito à liberdade de pensamento, consciência e religião; este direito inclui a liberdade de mudar de religião ou crença e a liberdade de manifestar essa religião ou crença, pelo ensino, pela prática, pelo culto e pela observância, em público ou em particular.

ARTIGO 19

Todo ser humano tem direito à liberdade de opinião e expressão; este direito inclui a liberdade de, sem interferência, ter opiniões e de procurar, receber e transmitir informações e ideias por quaisquer meios e independentemente de fronteiras.

ARTIGO 20

1. Todo ser humano tem direito à liberdade de reunião e associação pacífica.

2. Ninguém pode ser obrigado a fazer parte de uma associação.

ARTIGO 21

1. Todo ser humano tem o direito de fazer parte no governo de seu país diretamente ou por intermédio de representantes livremente escolhidos.

2. Todo ser humano tem igual direito de acesso ao serviço público do seu país.

3. A vontade do povo será a base da autoridade do governo; esta vontade será expressa em eleições periódicas e legítimas, por sufrágio universal, por voto secreto ou processo equivalente que assegure a liberdade de voto.

ARTIGO 22

Todo ser humano, como membro da sociedade, tem direito à segurança social, à realização pelo esforço nacional, pela cooperação internacional e de acordo com a organização e recursos de cada Estado, dos direitos econômicos, sociais e culturais indispensáveis à sua dignidade e ao livre desenvolvimento da sua personalidade.

ARTIGO 23

1. Todo ser humano tem direito ao trabalho, à livre escolha de emprego, a condições justas e favoráveis de trabalho e à proteção contra o desemprego.

2. Todo ser humano, sem qualquer distinção, tem direito a igual remuneração por igual trabalho.

3. Todo ser humano que trabalha tem direito a uma remuneração justa e satisfatória, que lhe assegure, assim como à sua família, uma existência compatível com a dignidade humana e a que se acrescentarão, se necessário, outros meios de proteção social.

4. Todo ser humano tem direito a organizar sindicatos e a neles ingressar para proteção de seus interesses.

ARTIGO 24

Todo ser humano tem direito a repouso e lazer, inclusive a limitação razoável das horas de trabalho e a férias remuneradas periódicas.

ARTIGO 25

1. Todo ser humano tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar-lhe, e a sua família, saúde e bem-estar, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito à segurança em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda dos meios de subsistência em circunstâncias fora de seu controle.

2. A maternidade e a infância têm direito a cuidados e assistência especiais. Todas as crianças, nascidas dentro ou fora do matrimônio gozarão da mesma proteção social.

ARTIGO 26

1. Todo ser humano tem direito à instrução. A instrução será gratuita, pelo menos nos graus elementares e fundamentais. A instrução elementar será obrigatória. A instrução técnico-profissional será acessível a todos, bem como a instrução superior, está baseada no mérito.

2. A instrução será orientada no sentido do pleno desenvolvimento da personalidade humana e do fortalecimento do respeito pelos direitos humanos e pelas liberdades fundamentais. A instrução promoverá a compreensão, a tolerância e a amizade entre todas as nações e grupos raciais ou religiosos, e coadjuvará as atividades das Nações Unidas em prol da manutenção da paz.

3. Os pais têm prioridade de direito na escolha do gênero de instrução que será ministrada a seus filhos.

ARTIGO 27

1. Todo ser humano tem o direito de participar livremente da vida cultural da comunidade, de fruir das artes e de participar do progresso científico e de seus benefícios.

2. Todo ser humano tem direito à proteção dos interesses morais e materiais decorrentes de qualquer produção científica literária ou artística da qual seja autor.

ARTIGO 28

Todo ser humano tem direito a uma ordem social e internacional em que os direitos e liberdades estabelecidos na presente Declaração possam ser plenamente realizados.

ARTIGO 29

1. Todo ser humano tem deveres para com a comunidade, na qual o livre e pleno desenvolvimento de sua personalidade é possível.

2. No exercício de seus direitos e liberdades, todo ser humano estará sujeito apenas às limitações determinadas pela lei, exclusivamente com o fim de assegurar o devido reconhecimento e respeito dos direitos e liberdades de outrem e de satisfazer as justas exigências da moral, da ordem pública e do bem-estar de uma sociedade democrática.

3. Esses direitos e liberdades não podem, em hipótese alguma, ser exercidos contrariamente aos objetivos e princípios das Nações Unidas.

ARTIGO 30

Nenhuma disposição da presente Declaração pode ser interpretada como o reconhecimento a qualquer Estado, grupo ou pessoa, do direito de exercer qualquer atividade ou praticar qualquer ato destinado à destruição de quaisquer dos direitos e liberdades aqui estabelecidos.

Fonte/Texto:g1.globo.com




A agência de viagens canadense Flight Network lançou sua lista anual das melhores praias ao redor do mundo. A empresa elaborou seu ranking com base em respostas de mais de 1.200 jornalistas, editores, blogueiros e agências de viagens. Assim, elegeu suas 50 melhores praias. Ao todo, foram analisadas 400 praias.

A Praia de Navagio, ou “Shipwreck Beach”, na ilha grega Zaquintos, ficou com o topo da lista. Cercada por falésias, ela tem um contraste entre as areais brancas e as águas turquesas do Mar Jônico, e os visitantes podem explorar as ruínas de um naufrágio que ocorreu no local.

Em segundo lugar está a praia australiana de Whitehaven. A orla está localizada em uma pequena ilha no arquipélago Whitsundays, entre a costa do Estado de Queensland e a Grande Barreira de Coral. Ela só pode ser acessada por helicóptero, barco ou hidroavião, ou seja, ao visitar a praia, não precisamos lidar com uma grande quantidade de turistas.

Na classificação por continente, alguns destaques na Ásia foram as praias Railay Beach, na Tailândia; Bai Khem Beach, no Vietnã; e Pink Beach, em Bali. Na África, as melhores foram Noetzie Beach, na África do Sul; e Nungwi Beach, nas ilhas de Zanzibar. Na Europa, as principais foram Praia da Comporta, em Portugal; e Calçada dos Gigantes, na Irlanda do Norte. As recomendadas para os viajantes na América do Norte são Ilha Holbox, no México; e Long Beach, no Canadá. Na América Central, os destaques são Pink Sands Beach, nas Bahamas; e Malmok Beach, em Aruba. Na América do Sul, alguns destaques foram Praia do Espelho, na Bahia; e Tortuga Bay, em Galápagos. Por fim, as indicadas da Oceania são Cable Beach, na Austrália; Champagne Beach, na ilha de Vanuatu; e Long Beach, na Micronésia.

Veja, na galeria de fotos abaixo, as 10 melhores praias ao redor do mundo, no ranking geral:

1. Praia de Navagio, Zaquintos, Grécia
2. Praia Whitehaven, Queensland, Austrália


3. Praia Escondida (“Hidden Beach”), El Nido, Filipinas

4. Praia do Sancho, Pernambuco, Brasil

5. Praia Tulum, Quintana Roo, México

6. Grace Bay, Ilhas Turcas e Caicos (1° lugar na lista do ano passado)

7. Seven Mile Beach, Ilhas Cayman

8. Anse Source D’Argent, ilha de La Digue, Seicheles

9. Maya Bay, Ilhas Phi Phi, Tailândia

10. Varadero Beach, Havana, Cuba
Fonte: Forbes.Uol.com 
A gestão da Educação, no governo Flávio Dino, tem sido marcada pelo compromisso com a transparência ativa, por meio da qual disponibilizamos o maior número de informações e dados possíveis à sociedade, de forma clara, sem que haja, necessariamente, solicitações e pedidos realizados por qualquer cidadão ou órgão de controle.

Está provado que acesso à informação de forma objetiva, transparente, clara e em linguagem de fácil compreensão é, hoje, o principal pressuposto de uma gestão pública contemporânea, que age com transparência ativa, sem esperar que o cidadão busque os órgãos para reclamar, criticar ou tenha que solicitar a disponibilização de informações.

Há quase quatro anos, saímos de uma transparência passiva, quando as pessoas, instituições ou empresas tinham que deixar suas cidades para vir a São Luís, em busca de informações sobre seus processos na Seduc, por exemplo. Diferentemente das gestões anteriores, o atual Governo do Maranhão adotou uma postura que colocou o Estado com nota máxima em transparência, saindo do antepenúltimo lugar para o topo do ranking na Escala Brasil Transparente, do Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU).

Seguindo a determinação do governador Flávio Dino, a Seduc avançou nos últimos três anos, ao criar mecanismos de transparência ativa, envolvendo, sobretudo, a comunidade escolar. Tais procedimentos foram destaque, recentemente, em premiações de âmbito nacional e estadual, no que diz respeito às boas práticas de ouvidorias. Os projetos premiados têm em comum a promoção da participação democrática e o incentivo ao protagonismo dos estudantes da rede estadual.

No Concurso Nacional de Boas Práticas da Rede de Ouvidorias, do Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU), a Ouvidoria da Seduc foi ouro com o projeto ‘Minha EscolaAPP’, na categoria ‘Estratégias Inovadoras de Participação Social para Aprimoramento e/ou Simplificação da Gestão’; e o Projeto Jovem Ouvidor, medalha de prata, na categoria ‘Estratégias Inovadoras para Engajamento da Sociedade Civil junto às Ouvidorias’. No Maranhão, o Minha EscolaAPP, também, ganhou o 1° lugar no “Boas Práticas de Ouvidoria”, realizado pela Secretaria de Estado de Transparência e Controle (STC). Vale lembrar que, no ano passado, já tínhamos recebido medalha de bronze no Concurso Nacional de Boas Práticas da Rede de Ouvidorias com o projeto ‘Conversando com a Escola’.

O ‘Conversando’ promove a participação da comunidade escolar na gestão pública, contribuindo com a formação cidadã dos estudantes da rede estadual de ensino e com o processo de promoção da melhoria da qualidade da educação. Já o ‘Jovem Ouvidor’ estimula a participação de alunos do ensino médio em ações de escuta cidadã, fortalecendo o protagonismo estudantil nas escolas da rede pública estadual. E, por fim, não menos importante, o ‘Minha EscolApp’, aplicativo desenvolvido pela Secretaria, por meio do qual os estudantes têm acesso a diversas informações como: notas, recursos para a escola, nota do IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica); podem avaliar a merenda, as aulas, infraestrutura, didática, dar sugestões de como melhorar a escola e receber todas as informações sobre os projetos de interesse do estudante.

Há uma série de vantagens que a transparência possibilita à educação: permite focar na eficiência dos gastos de recursos públicos, melhorar a tomada de decisões com impacto na qualidade, abre canais direto com as comunidades escolares e a população em geral, entre outros. Mas tudo isso só faz sentido se estiver conectado à aprendizagem dos estudantes. Portanto, todas as práticas da Seduc, reconhecidas nacionalmente como estratégias inovadoras, focam na formação cidadã e ainda garantem a manutenção das condições adequadas para que essa aprendizagem ocorra com qualidade.

Por fim, destaco que todos os avanços obtidos até aqui não seriam possíveis sem a participação dos profissionais da Seduc, dos estudantes e das escolas. Essas premiações não são mérito meu, como gestor da educação do Maranhão, mas de um governo comprometido com a gestão pública transparente e cidadã.

Felipe Costa Camarão
Professor
Secretário de Estado da Educação
Membro da Academia Ludovicense de Letras e Sócio do Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão

Fonte: Educação.MA 

Operação realizada pela gestão do prefeito Edivaldo visa ao embelezamento e conforto do espaço que passa por reforma realizada pelo Iphan em parceria com a Prefeitura de São Luís; previsão de entrega das obras é para o dia 18 de dezembro


A Prefeitura de São Luís deu início a uma grande operação de transplantio de árvores já na fase adulta para revitalizar o paisagismo de áreas do Complexo Deodoro, que passa por obras de requalificação urbanísticas como parte do projeto de revitalização do Centro Histórico da capital, executadas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em parceria com a Prefeitura de São Luís. A previsão de entrega das obras é dia 18 de dezembro. A iniciativa, realizada na gestão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior, é a maior ação já desenvolvida na cidade para o embelezamento paisagístico de áreas públicas, utilizando árvores de médio e grande porte. Entre as espécies replantadas estão pés de ipês amarelos, brancos, roxos e rosas, além de palmeiras imperiais, pau brasil e oitizeiros.

"Estão sendo finalizados os preparativos para a entrega desta grande obra que é o Complexo Deodoro, executada pelo Iphan com a parceria da Prefeitura de São Luís. Com o projeto paisagístico damos um importante passo para deixar o local ainda mais bonito e aprazível para a nossa população. São serviços que nossa gestão está realizando não apenas no Centro Histórico, mas também em toda a capital", ressalta o prefeito Edivaldo.

O superintendente do Iphan no Maranhão, Maurício Itapary, destacou que o novo paisagismo dos espaços do Complexo Deodoro vai tornar ainda mais belas essas áreas. "As árvores de grande porte promovem mais sombreamento e embelezamento, além de preservar a qualidade ambiental das áreas contempladas pelo transplantio", observou Itapary.

A operação de transplantio das espécies é coordenada pelo Instituto Municipal da Paisagem Urbana (Impur), com acompanhamento minucioso de profissionais da área. Segundo o presidente do Impur, Fábio Henrique Carvalho, o transplantio de mudas adultas consiste em um conceito tecnológico e inovador muito utilizado atualmente nos grandes centros urbanos do mundo, para a criação de jardins instantâneos com toda a segurança necessária para que as árvores permaneçam saudáveis. Uma das vantagens dessa modalidade de plantio é a transformação do aspecto paisagístico ornamental do ambiente em um tempo menor que o tradicional.

Serão replantadas cerca de 30 árvores de médio porte com até seis metros e, em seguida, a operação contempla o plantio de 18 palmeiras imperiais com até 10 metros. Ainda conforme o presidente do Impur, tanto os ipês como as palmeiras imperiais e as demais árvores utilizadas no paisagismo do Complexo Deodoro são plantas de características tropicais que permitem o transplantio na fase adulta de crescimento, apresentando bom desenvolvimento quando cultivadas em regiões de clima quente como São Luís.


"Todo o processo para transplantar as árvores está sendo executado de forma bastante criteriosa, pois a ação demanda a utilização de um grande aparato, para não prejudicar a árvore no processo de transporte até o replantio. E isso tem sido feito com muita responsabilidade pelas equipes para que tudo ocorra no menor tempo possível e, assim, evitar danos à planta", diz Fábio Henrique Carvalho.

PREPARAÇÃO DO SOLO

Para realizar a operação de transplantio, foi feito todo um trabalho de preparação do solo dentro das especificações orientadas para o replantio das árvores de médio e grande porte, visando garantir a preservação e a integridade das raízes da planta. Palmeiras imperiais e espécies de ipês já compõem os projetos paisagístico de parte dos logradouros públicos revitalizadas pela Prefeitura de São Luís, principalmente em função de sua forma e rusticidade. Só na Praça Dom Pedro II, por exemplo, foi realizado o transplantio de seis palmeiras imperiais de grande porte no entorno do chafariz da estátua Mãe d´Água Amazônica, compondo o cenário paisagístico com os demais pés de ipês amarelos que já existem no espaço.

O transplantio de árvores é uma técnica que permite a remoção de uma planta de um terreno e replantá-las em outro local, evitando o corte do tronco. Os detalhes para replantação são definidos em um laudo feito por profissional da área, que só inicia o procedimento após comprovar que a árvore está saudável para o transplante. Um dos aspetos positivos para a utilização dessa técnica é que as árvores replantadas precisam de menos tempo para produzir a beleza e o sombreamento desejado ao espaço, além de promover melhorias ambientais de forma mais breve que a forma tradicional.


AÇÕES

Por determinação do prefeito Edivaldo, que tem trabalhado para manter a cidade mais aprazível aos moradores e visitantes, as ações na área paisagística da cidade contemplam outras iniciativas para a ornamentação ambiental e embelezamento de áreas públicas. Para isso, são realizados regularmente serviços de plantio de novas mudas, podas, roço e capina dos logradouros públicos como praças e avenidas da capital maranhense, compreendendo principalmente as regiões do Centro Histórico.

Entre as intervenções paisagísticas realizadas na região estão serviços de limpeza de copa das árvores, retirada de erva de passarinho e galhos secos. O trabalho é feito de maneira minuciosa em razão do valor histórico de cada espaço e visa à melhora e à preservação das árvores.


Além do Centro Histórico, a Prefeitura tem realizado trabalhos de paisagismo em toda a capital. As intervenções visam à melhoria do aspecto paisagístico de praças, logradouros públicos e áreas de lazer. Nas últimas semanas os serviços foram realizados também na Avenida dos Franceses, Recanto dos Vinhais e Vinhais.

A Prefeitura também concluiu serviços paisagísticos na região da Ponta do Farol. Na área foram feitas podas de levantamento de copa e retirada de árvore morta. A Vila Dom Luís também recebeu serviços de manutenção das árvores dispostas em espaços públicos, com a realização de levantamento e recondução de copas. No Residencial Primavera Turu, os trabalhos na área contemplaram serviços de poda de limpeza e recondução de copa e remoção de árvore com risco de queda. As avenidas Jerônimo de Albuquerque e Getúlio Vargas, além do bairro Calhau, também foram beneficiadas pelos serviços.