segunda-feira, 20 de setembro de 2021

A Secretaria de Turismo do Estado do Maranhão através da Superintendência de Regionalização e CADASTUR (Cadastro de empreendimentos turísticos) estiveraram na última terça-feira (14/09) no Polo Amazônia Maranhense especificamente em Carutapera (cidade sede) Glória Pinto e Karlla Santos realizaram a Oficina de Remapeamento do Polo.

Com a participação dos municípios de Turiaçu, Cândido Mendes, Luis Domingues, Centro Novo, Godofredo Viana tiveram presente os conselheiros do COMTUR / Carutapera e os empresários e gestores que fazem parte da IGR (Instância de Governança do Polo Amazônia Maranhense) na oportunidade  a coordenadora  Thais Guimarães do CADASTUR demonstrou a todos as mudanças que a plataforma do Programa do Ministério do Turismo, alinhando com todos o novo formato. 

Foi na ocasião definido que todos os municípios do Mapa do Turismo Brasileiro que irão ficar e entrar terão até o dia 05 de novembro 2021 para entregar todos os documentos relacionados aos critérios estabelecidos pelas portarias do  MTur e Governo do estado do Maranhão.


Com a proximidade do período natalino, a Câmara de Dirigentes Lojistas de São Luís / CDL  já começa a preparar a realização da campanha Natal Show de Prêmios, para estimular as vendas no comércio.

O presidente da CDL São Luís, Fábio Ribeiro, ressalta a importância da promoção diante do cenário causado pela pandemia: “Mesmo com a ampla cobertura vacinal que está nos permitindo o controle da Covid-19, o período ainda é desafiador e para termos bons resultados em dezembro é fundamental ter diferenciais no processo de consumo. O Natal Show de Prêmios é essa estratégia que ajuda o lojista participante a ter maior fluxo de clientes nas compras natalinas, atraídos pelo sorteio”, explica Ribeiro.

Ano passado, a campanha Natal Show de Prêmios teve mais de 300 pontos de vendas credenciados e quase um milhão de cupons no sorteio, e para este ano, a CDL São Luís espera superar esses índices.

O Natal é a principal data comercial do varejo que provoca aumento nas vendas e maior movimentação nos centros comerciais; por isso, a CDL São Luís reforça junto aos lojistas a importância de cumprir os protocolos sanitários e adotar procedimentos para evitar aglomerações.

Informação: Intermídia Comunicação


FOTO – DIVULGAÇÃO: O Pres. da CDL São Luís Fábio Ribeiro, na foto com a Pres. da FCDL-MA Socorro Noronha;  já nos preparativos para a Campanha anual “Natal Show de Prêmios 2021” para estimular as vendas.



Estudo faz parte de série disponibilizada pela FIEMA

SÃO LUÍS – A Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (FIEMA), por meio da Coordenadoria de Ações Estratégicas, acaba de lançar uma série de publicações online sobre setores industriais relevantes para o desenvolvimento do Maranhão. 

“A nossa perspectiva é que esses estudos possam servir de subsídio na formulação de políticas públicas, de natureza econômica, social ou de infraestrutura e orientar a elaboração de planos de ação de entidade que compõem o Sistema FIEMA em médio e longo prazo, enfatiza o coordenador de Ações Estratégicas da FIEMA e responsável pelos estudos”, José Henrique Polary. 

De acordo com o estudo “Indústria de bebidas – estudo setorial”, a fabricação de bebidas é uma das atividades industriais tradicionais com importância na economia brasileira. Possui variados níveis tecnológicos, diferentes escalas de produção e empresas de todos os tamanhos, alcançando um mercado variado em termos de classes de consumidores. Alguns dos seus segmentos, no entanto, são fortemente concentrados, em torno de um número restrito de grandes empresas, muitas vezes formadas por fusões, aquisições e licenciamentos de marcas entre companhias com atuação mundial. 

Deve-se registrar que este setor é marcado por muitas atividades informais, principalmente naquilo que se refere a fabricação de aguardentes, subestimando, em muito, as estatísticas oficiais. Estima-se que a indústria de bebidas seja responsável pela geração de 2,8% do PIB Industrial do Maranhão (IBGE, 2018). 

No panorama nacional é possível destacar que o segmento de bebidas, ao longo dos últimos de anos, tem sabido aproveitar as oportunidades abertas com o surgimento de novas classes de consumo no país e, assim, puderam ampliar a capacidade de produção e promover a diversificação dos seus produtos. 

Não é demais dizer que as cervejas e os refrigerantes são os itens responsáveis por mais de 75% das vendas da indústria fabricante de bebidas no país, que se distribuem por diferentes marcas, escalas de produção, tamanhos de empresas e classes de consumo. 

Segundo o IBGE/Cadastro Central de Empresas, a Indústria de Transformação, no Brasil, possuía, em 2018, um total de 407.579 unidades locais industriais. Destas, 4.937 dedicavam-se à fabricação de bebidas. 

As indústrias de bebidas somam apenas 1,2% de todas as indústrias de transformação, com participação maior das fabricantes de bebidas alcoólicas (3.225 unidades). Entre estas, sobressai o número de unidades produtoras de aguardentes e outras bebidas destiladas, com 26,3% delas. 

No Maranhão, segundo dados do IBGE/Cadastro Geral de Empresas, registrava-se, em 2018, um total de 59 unidades fabricantes de bebidas, o que corresponde a 6,1% do total da região Nordeste que, por sua vez, representa 19,6% do total nacional. Dentre as unidades maranhenses, 39 foram classificadas como estabelecimento industrial com 5 ou mais pessoas ocupadas. 

O número de indústrias de bebidas no estado representa somente 1,9% de todas as indústrias de transformação, ligeiramente acima da registrada para o Nordeste (1,8%), em 2018. 

No entanto, em termos de evolução, o número de empresas desse segmento no Maranhão aumentou 78,8%, entre 2010 e 2018, enquanto, na região nordestina, esse aumento foi de 13,4% apenas. Trajetória diferente do conjunto da indústria de transformação que regrediu, em número de estabelecimentos, 4,7% no Maranhão e 12,5% no Nordeste, no mesmo período. A maioria das indústrias de bebidas está dedicada à fabricação de bebidas não alcoólicas: 66,1% no Maranhão, e 64,1% no Nordeste. 

De acordo com os dados do Cadastro Geral de Empresas, do IBGE, as 59 unidades locais industriais voltadas para a fabricação de bebidas, no estado, respondiam, em 2018, pelo emprego de 2.777 pessoas, representando um tamanho médio/estabelecimento de 47,1 trabalhadores, a maior média dentre os estados nordestinos. No Brasil, a média de pessoas empregadas nesse gênero de indústria, em 2018, era de 26,4 pessoas por estabelecimento. 

Internamente ao segmento de Bebidas, sobressaem os estabelecimentos fabricantes de não alcoólicas, quase o dobro das que produzem bebidas alcoólicas, no ano de 2018, seja no Maranhão, seja no Nordeste, segundo dados do IBGE/Cadastro Central das Empresas. 

O estudo setorial da FIEMA destaca ainda que, no Maranhão, a fabricação de aguardentes e outras bebidas destiladas conta com 13 empresas e, em segundo lugar, a fabricação de malte, cervejas e chopes com 7 unidades. E no total das bebidas não alcoólicas, a maior concentração é fabricação de águas envasadas (31 estabelecimentos) e, logo em seguida, a fabricação de refrigerantes e outras bebidas não alcoólicas (8 unidades), sendo que São Luís, Imperatriz e São José de Ribamar, de terem as maiores concentrações e abrigam 44,4% dessas unidades, com predomínio para os fabricantes de bebidas não alcoólicas. 

O estudo completo sobre o setor pode ser baixado no formato de e-book, no site da FIEMA, www.fiema.org.br/publicacoes  

Informação: Fiema

O Estado do Maranhão possui 217 municípios e com uma área de quase 330 mil km², é um dos 10 mais extensos do Brasil. Diante dos desafios do vasto território, o Governo do Estado conseguiu, neste ano, interligar todos esses municípios por via terrestre através da construção de pontes e novas estradas. 

O Governo levou a sério o ditado que diz “não construa muros, construa pontes”. Desde 2015, já foram 30 estradas inauguradas e 7 pontes entre reconstrução, melhoramento e recuperação. Com as atuais construções das Ponte sobre o Rio Balsas, Rio Pericumã, Rio Santarém e o Rio Preguiças, o Maranhão chega a marca de interligação municipal por via terrestre. 

Para o secretário Clayton Noleto, essa é uma conquista histórica. “Há sete anos estou à frente da infraestrutura maranhense. Foi um desafio muito grande quando chegamos em 2015, havia muitas estradas com um nível ruim no nosso estado e pouco a pouco fomos mudando essa realidade. Hoje, chegar a marca de ter todo o Estado interligado por rodovia, por conta do trabalho que fizemos nas estradas e das pontes que construímos, é algo que merece muita celebração! Conquista para o povo”, disse o secretário. 

O que temos em andamento?

Atualmente o Governo do Maranhão mantém equipes trabalhando em 04 obras: Ponte Central-Bequimão, Ponte sobre o Rio Santarém,  sobre o Rio Balsas e sobre o Rio Preguiças, em Barreirinhas. 

Localizada no município de São Félix de Balsas, a ponte sobre o Rio Balsas que possui 195 metros de extensão é um marco para os moradores que só conseguiam chegar à cidade através de embarcações. Com a construção, o município sai do isolamento e tem uma rota terrestre para saída. 

Assim também será para moradores e turistas em Barreirinhas. Hoje para ter acesso ao Parque Nacional dos Lençóis, é necessário atravessar o rio de balsa, mas em breve, a espera de 50 anos vai acabar. A ponte sobre o Rio Preguiças além da mobilidade vai influenciar também no turismo. 

Uma das obras mais expressivas atualmente do Governo é a Ponte Central-Bequimão. Com 589 metros, a ponte vai interligar 13 municípios da baixada maranhense. As equipes agora se concentram no içamento de vigas metálicas sobre os blocos em água. Um trabalho complexo e minucioso que tem exigido atenção da equipe de engenharia.

Com essas intervenções, através da Secretaria de Estado da Infraestrutura (Sinfra), o Governo marca a interligação de todos os municípios maranhenses por terra. 

Quem prova, vê que a construção de pontes não é apenas algo filosófico, mas que interfere no dia a dia do povo. Mais mobilidade, mais segurança e conforto a quem precisa. 

Dona de um restaurante desde 2003, Ana Karina, de Santo Amaro, consegue sentir literalmente na pele a diferença que a ponte sobre o Rio Alegre trouxe a diversos moradores. “Há uns anos atrás, eu vendia bolo e precisava atravessar o rio, mas não tinha ponte, a gente atravessava por água. Tinha que separar uma muda de roupa e torcer para conseguir atravessar sem perder nada. Foram anos dessa batalha. Agora tem a ponte, né? Acabou com o sofrimento de muita gente”, contou satisfeita.

Relembre as obras entregues

Falando em Rio Alegre, essa foi a última inauguração de ponte do Governo do Maranhão pela Sinfra. A ponte com 120 metros tem ajudado a população local a trabalhar melhor e chamado atenção dos turistas para o crescimento do setor na cidade. 

Uma das maiores obras já entregues é a Ponte Verde, na capital maranhense. São 220 metros de extensão que hoje já interferem diretamente no dia a dia dos milhares de trabalhadores que usam o corredor para sair de São José de Ribamar a São Luís. A Ponte Verde, entregue em setembro de 2020, foi um projeto delicado e que exigiu bastante esforço e cuidado da equipe de engenharia por conta do solo em que foi construída. 

Outras pontes que fazem parte desse rol de 7 obras são as sobre o Riacho Mangu em Santana e sobre o Rio Flores em Lajeado Novo. Apesar de não serem obras de  grande porte, impactam diretamente a vida dos moradores que antes precisavam fazer um percurso bem maior para chegar ao destino.  

Com todas essas obras, o Governo fez um investimento aproximado de 150 milhões de reais e proporcionou o encurtamento de distâncias entre cidades antes esquecidas.

Informação: MA.gov 

Erupção do Cumbre Vieja foi confirmada hoje

Nós, brasileiros, aprendemos que fenômenos naturais como terremotos e vulcões não são motivo de preocupação. Mas esta semana trouxe uma notícia diferente. A atividade de um vulcão próximo à África teria capacidade de provocar efeitos na costa brasileira. O vulcão Cumbre Vieja, em La Palma - ilha que compõe o conjunto das Ilhas Canárias espanholas - têm o potencial de provocar um tsunami na costa brasileira.

O vulcão vinha aumentando sua atividade sísmica ao longo dos últimos dias e entrou em erupção neste domingo (19). Fontes de lava e nuvens de fumaça foram registradas no local. As Ilhas Canárias ficam localizadas a noroeste da África, próximas à costa do Marrocos e do Saara Ocidental.

Chances remotas

Para as atividades vulcânicas do Cumbre Vieja causarem impacto na costa brasileira seria necessário um grande colapso do vulcão. Se isso ocorresse, atingiria toda a costa brasileira, de norte a sul, bem como de outros países banhados pelo Oceano Atlântico. Essa possibilidade, no entanto, é considerada remota por especialistas.

Um estudo do pesquisador norte-americano George Pararas-Carayannis, presidente da Tsunami Society International, afirmou que esse tipo de colapso é “extremamente raro e nunca ocorreu na história registrada”. Além disso, ele afirmou que estudos recentes prevendo a geração de tsunamis a partir da erupção do Cumbre Vieja foram baseados em suposições incorretas.

Pararas-Carayannis acrescentou em seu estudo que uma “atenção e publicidade inapropriadas da mídia a tais resultados probabilísticos têm criado uma ansiedade desnecessária de que megatsunamis poderiam ser iminentes e devastar populações costeiras em localidades distantes da origem – nos oceanos Atlântico e Pacífico”.

Já o geólogo Mauro Gustavo Reese Filho, da Universidade Federal do Paraná, afirma em estudo que, ainda que as chances sejam remotas, a população costeira do Brasil deveria ser conscientizada. “Estudos mais recentes dizem que as chances de ocorrência são remotas e longínquas, no entanto, o estabelecimento de sistemas de alarme que possibilitam a evacuação de áreas é justificável quando se trata de vidas humanas”, afirmou Reese em seu trabalho, também citado pela Metsul Meteorologia.

O pesquisador brasileiro apontou a falta de cuidados preventivos na costa brasileira. Ele parte do princípio de que uma mera possibilidade de desastre já indica a necessidade de ações preliminares. “A possibilidade de ocorrência deste evento por si só deveria ser razão para a prevenção de todos os tipos de danos na costa brasileira, porém até o momento nada foi feito. A falta de informação é a principal causadora deste problema, pois inclusive no meio geológico muitas pessoas não sabem sobre tal fato”.

Vulcões

Um vulcão é uma estrutura geológica, em terra firme ou em alto-mar. Eles se formam a partir do choque de duas placas tectônicas, massas rochosas rígidas que formam a crosta terrestre e que deslizam sobre o manto - material subjacente de consistência plástica. Quando essas placas se chocam, uma mergulha sobre a outra, elas se fundem parcialmente e as rochas esquentam a mais de 1000 graus Celsius. Há o aumento de pressão e a crosta terrestre derretida sobe à superfície, formando vulcões e ilhas.

Os vulcões típicos têm formato cônico e montanhoso, mas de proporções variáveis. Essa estrutura cônica, como uma chaminé, comunica uma câmara subterrânea profunda com a superfície. Nessa câmara fica armazenado o magma, uma massa de rocha fundida de alta temperatura, constituída em grande parte de silicatos (tipos de minerais), misturados com vapor de água e gás.

A erupção começa com uma instabilidade no solo, acompanhada por tremores de terra. Formam-se fendas na região instável e consequente saída explosiva de gases, ejeção de água subterrânea e terra. A seguir, verifica-se a abertura e limpeza da chaminé e a expulsão de cinzas, blocos e bombas vulcânicas. Finalmente ocorre o derramamento de lava, que nada mais é do que o magma expelido à superfície e ainda em estado líquido.

Informação: Agência Brasil 

Alanny Rufino Medeiros conquista título nacional inédito para o Maranhão e vira embaixadora do turismo.

Uma disputa bastante equilibrada e com belíssimas candidatas representantes de estados brasileiros. Foi nesse clima de entusiasmo e muita expectativa, que a Miss Maranhão Globo 2021, Alanny Rufino Medeiros, que é natural de Santa Inês, na região do Vale do Pindaré foi em busca do título nacional, e fez bonito na passarela do suntuoso Teatro Brasil 21, no Centro de Convenções do Hotel Meliá - Brasília/DF na noite deste sábado (18 setembro).

Com traje típico representando "Iara Tapuia, a índia protetora dos Lençóis Maranhenses", traje de gala e maiô, Alanny recebeu muitos aplausos do público presente e recebeu excelente nota do Corpo de Jurado, ficando com o inédito título de Miss Brasil Tur e vai representar o nosso país em concurso internacional em local e data a serem confirmadas.

Para o coordenador estadual do concurso Miss Maranhão Globo e Miss Brasil Tur, o apresentador do Programa de TV Mundo Passaporte, Marcos Davi @mdavicarvalho "o título inédito veio em um momento muito especial e importante. Um estado com tantos atrativos turísticos e belezas naturais raras, já merecia ter a sua Embaixadora do Turismo e a conquista chegou e servirá com estímulo, para o crescimento e promoção do estado nacionalmente".

Parabéns, Alanny Medeiros o Maranhão sente orgulho de você. Aguarde mais informações e detalhes nos próximos dias.

domingo, 19 de setembro de 2021

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais (SEMA), em parceria com o Conselho Estadual de Meio Ambiente (Consema), o Conselho Estadual de Recursos Hídricos (CONERH) e o Conselho Gestor dos Pequenos Lençóis Maranhenses, esteve, neste sábado (18), realizando ações na região dos Pequenos Lençóis Maranhenses. Na ocasião, foi promovido um mutirão de limpeza em alusão ao Dia Mundial de Limpeza de Praias e Rios, na Praia de Andreza, município de Tutóia, que recolheu mais de 2,5 toneladas de resíduos.

O descarte inadequado de rejeitos gerados pelo ser humano, normalmente sem controle, ocasiona diversos problemas e danos ao meio ambiente, como o empobrecimento do solo, danos à saúde pública, além de potencializar as desvantagens sociais. Neste sentido, as praias e os rios devem ser mantidos todos os dias limpos por meio de ações simples como dando a destinação final correta dos resíduos, evitando descartá-los em qualquer lugar. Pensando nisso, a iniciativa objetivou despertar a consciência da população para a necessidade e a importância de manter as praias e os rios limpos através de atividades educativas e informativas. 

Participaram da ação moradores de Tutóia, empreendimentos que apoiaram a causa e os agentes jovens ambientais do município. A área demanda uma atenção especial, uma vez que sofre constantemente com a problemática dos resíduos sólidos destinados de forma imprudente pelos turistas, além de ser o destino final de uma enorme quantidade de lixo que chega de todas as partes do mundo, após cair em correntes marítimas.

“Em alusão ao Dia Mundial de Limpeza de Praias e Rios, que foi instituído desde a década de 80, o Governo do Estado, através da SEMA, em parceria com várias instituições, como a Prefeitura de Tutóia, está realizando essa ação, que não é a primeira, pois desde o ano passado estamos promovendo, sendo que em 2020 ocorreu em Paulino Neves. Então, estamos aqui reunidos em alusão a essa data para que possamos fazer uma conscientização em massa da importância da destinação dos resíduos de forma correta e, mais do que isso, a integração em prol do meio ambiente”, destacou a secretária executiva do Consema/CONERH/CONGEFEMA, Ana Cristina Fontoura.

“Ainda tem muitas pessoas que jogam lixo na beira da praia, como o que vimos hoje, muito lixo. Essa então é uma ótima experiência, pois somos jovens, a futura geração, e estamos aqui para poder ensinar, aconselhar e passar nas comunidades, promovendo ensinamento”, disse a agente jovem ambiental, Emy Cruz.

Para a superintendente de Gestão de Resíduos Sólidos, Hayane Araújo, “a SEMA realiza essa atividade em parceria com os municípios com o intuito de estar orientando, no papel de educação ambiental, voltada para essa destinação correta dos resíduos sólidos, para que não haja o que testemunhamos hoje, que é um quantitativo muito elevado de resíduos em nosso litoral. Então, a SEMA tem esse papel de estar junto com os municípios realizando as atividades, em caráter de educação ambiental, orientando eles na questão tanto da gestão quanto do gerenciamento de resíduos. O maior ganho que tem é pro meio ambiente”.

Informação: MA.gov