Assembleia Legislativa do Maranhão

quarta-feira, 21 de novembro de 2018
Promovida pela Prefeitura de São Luís, sendo a sexta edição organizada pela gestão do prefeito Edivaldo, Feira do Livro ocorre até o dia 25 de novembro no Multicenter Sebrae


A 12ª Feira do Livro de São Luís é um mundo de atividades de incentivo à leitura. Dentro da programação, estão inseridos outros eventos, como o I Encontro FeliS/UBE de Escritores Maranhenses, a Feira SLZ Preta e o X Seminário de Políticas Públicas de Bibliotecas, Leitura e Informação, além de atividades externas realizadas em hospitais, asilos e casas de apoio e escolas. A Feira do Livro é realizada pela Prefeitura de São Luís, sendo a sexta edição organizada pela gestão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior, por meio das secretarias de Cultura (Secult) e Educação (Semed), correalização do Serviço Social do Comércio (Sesc) e Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas do Maranhão (Sebrae). O evento segue até o dia 25 de novembro no Multicenter Sebrae, Cohafuma e a programação é gratuita.

Na quarta-feira (21), às 9h, a programação do X Seminário de Políticas Públicas de Bibliotecas, Leitura e Informação conta com a mesa redonda 'Letramento Literário e a formação do leitor em tempos de convergência digital', com os palestrantes André Neves (SP) e Roseana Murray (SP), sob a coordenação da Profª Ms. Cléa Nunes, da Universidade Federal do Maranhão (UFMA). De 16h às 18h, no Auditório Casa do Professor, Roseana Murray (SP) facilita a oficina 'Poesia, Silêncio e Escuta'.

Na terça-feira (20), às 10h, aconteceu a conferência 'Biblioteca, Leitura e Literatura como Direitos Humanos', ministrada pelo Prof. Dr. Luiz Percival Leme Britto, com a coordenação da Profª. Drª Leoneide Maria Brito Martins - UFMA, como parte da programação do X Seminário de Políticas Públicas de Bibliotecas, Leitura e Informação. O Seminário conta ainda com a oficina 'As histórias e a leitura na escola, na biblioteca e na vida da gente', com a Profª Ms. e escritora Lúcia Fidalgo (RJ), no Auditório Casa do Professor, à tarde. Ainda na terça-feira, no Auditório Punga dos Saberes, às 19h, tem o lançamento do livro '130 anos de (des)ilusão: A fama Abolicionista em Perspectiva desde Olhares Marginalizados', do vencedor do Prêmio Jabuti e mestre em Direito, Luciano Góes (SC).


ENCONTRO

Na segunda-feira (19), às 16h30, no Café Literário, foi aberto o I Encontro FeliS/UBE de Escritores Maranhenses, com o painel 'Primeiros Passos como Novo Escritor - Minha experiência', sob coordenação de Lourival Serejo, com o expositor José Renato Siqueira (PE) e participação de vários autores, dentre os quais, Alexandre Santos (PE). Às 18h30, houve o lançamento da Seccional da União Brasileira De Escritores (UBE) e posse das Comissões de Instalação. Às 19h30, aconteceu o painel 'Conhecendo a União Brasileira de Escritores e as Entidades Literárias do Maranhão'.

"A UBE é uma entidade nacional que completou 60 anos em 2018. Hoje, foi lançada seccional no Maranhão. A proposta é ter uma em cada estado. Um diferencial da nossa organização é que unimos e reunimos as outras entidades que têm escritores", explica o professor Elias Azulay, integrante da UBE-MA.

FEIRA PRETA


Outro evento que está em alta durante a 12ª FeliS, é Feira SLZ Preta, que fomenta a cadeia de empreendedores de produtos afro-brasileiros. No Café Literário, às 15h, aconteceu a palestra 'Genocídio da População Negra', com o professor da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) do curso de Estudos Africanos e Afro-brasileiros, Richard Christian, e mediação da advogada Bruna Cândido (SP). O palestrante também é militante do Centro de Cultura Negra do Maranhão e membro da Associação Brasileira de Pesquisadores Negros.

O professor discorreu que o genocídio da população negra é um processo de morte física e simbólica como forma de manter o racismo, que existe desde o período da escravidão e, mesmo após o seu término, continua acontecendo. Ele citou alguns mecanismos de violência institucional ou interpessoal que representam esse genocídio, como o alto índice de mortes violentas de pessoas negras, perseguição à cultura de matriz africana, inferiorização dos povos negros e a demonização da cultura e da religiosidade negra.

"Quanto ao alto índice de mortes violentas de pessoas negras, as vítimas são, sobretudo, homens jovens, moradores de periferia, mesmo sem antecedentes criminais, inclusive com mortes devido à violência policial. Venho aqui tanto pelas pesquisas quanto pela militância política para refletir e denunciar essa exclusão da população negra", destaca.

BATE-PAPO


'Educação e Cultura: Desafios e Estratégias de Fortalecimento para a valorização do patrimônio Imaterial' foi o tema do bate-papo com os secretários municipais de Educação, Moacir Feitosa; de Cultura, Marlon Botão; superintendente de Patrimônio Imaterial da Secretaria de Estado da Cultura e Turismo (Sectur), Neto de Azile, e com o produtor cultural, consultor em economia criativa e arteterapeuta, André Lobão. A mediação ficou por conta do jornalista Alberto Júnior.

O secretário municipal de Educação de São Luís, Moacir Feitosa, falou que "é necessário considerar a cultura como algo dinâmico e utilizá-la no processo educativo, principalmente em projetos interdisciplinares". Já o secretário municipal de Cultura, Marlon Botão, destacou que a Secult, por meio dos projetos Punga dos Saberes, Rede São Luís de Pontos de Cultura e São Luís de Ponto a Ponto, tem fomentando políticas públicas culturais. "É importante ter esse tipo de discussão dentro de um evento como a Feira do Livro porque é por meio do processo educacional que o saber e o fazer cultura pode ser perpetuado para as novas gerações", frisa.

ESCRITORES NACIONAIS


O escritor carioca Ramon Nunes de Melo fez um bate-papo jovem no Café Literário, às 10h, com o tema 'Tente entender o que tento dizer', trazendo uma discussão sobre o vírus HIV e obras relacionadas a essa temática. "A poesia sobre o HIV é algo visto como tabu para muitos. Para escrever uma das obras, falei com alguns amigos poetas e recebi poemas de gays, trans, héteros, entre outros. A ideia era mostrar que o vírus é um mal que atinge qualquer grupo social, independente da opção sexual, da cor, da raça ou classe social. É algo que todos precisam se preocupar e falar sobre", compartilha.A autora carioca Lúcia Fidalgo participou do bate-papo 'A Brasilidade na Literatura Infantil: conhecendo a Coleção Brasileirinhos', às 19h, no Auditório Casa do Professor, com mediação de Márcio Almeida. Ela é autora da Coleção Brasileirinhos, lançada pela Editora Paulus, que apresenta celebridades brasileiras como Tarsila do Amaral, Portinari, Mário Quintana, entre outros. Os livros podem ser utilizados como material didático em escolas e para as famílias de modo geral.

"Quando eu pergunto para as crianças o que é uma celebridade, elas falam sobre quem está na mídia, não de pessoas que marcaram a história do país. Os meus livros são justamente para isso. O tema da 12ª Feira do Livro é relevante porque precisamos valorizar o que é nosso, como o trabalho de vários brasileiros que são reconhecidos fora do país", explica.

EXTENSÃO FELIS


Este é o ano em que a Feira do Livro mais se estendeu para espaços além da sede das atividades, que é o Multicenter Sebrae. Além das escolas, que já eram incluídas em edições anteriores, a novidade da 12ª FeliS são atividades em hospitais, asilos e casas de apoio. Confira a programação:

- 20/11, às 15h, na Associação Antônio Brunno, bairro Planalto Anil, com apresentação da Tapete criações Cênicas;

- 21/11, às 9h, na Casa Sonho de Criança, bairro Liberdade, com a apresentação 'Eu Conto e Você Encanta', de Rosane Fernandes;

- 22/11, às 9h, na Biblioteca Municipal, no Bairro de Fátima, com a apresentação 'Contos da Natureza - Nhá Caboca';

- 21/11, às 15h, no Hospital do Câncer Aldenora Bello, Fundação Antônio Dino, bairro Apeadouro, com a contação de história 'Abayomi conta história', da Tapete criações Cênicas;

- 22/11, às 9h, na Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de São Luís (APAE), bairro Outeiro da Cruz, com a apresentação 'Um dia de Claw';

- 23/11, às 9h, na Ala de Hemodiálise das Crianças do Hospital Universitário Dutra, no Centro Histórico, com a contação de história 'Eu Conto e Você Encanta', de Rosane Fernandes;

- 23/11, às 15h, no Hospital Nina Rodrigues, bairro Monte Castelo, com a performance poética 'Palavras Viajantes', da Tapete Criações Cênicas;

- 24/11, às 9h30, no Asilo de Mendicidade de São Luís, bairro São Francisco, com a performance poética 'Palavras Viajantes', da Tapete Criações Cênicas.

Acompanhe toda a programação da 12ª Feira do Livro de São Luís no endereço http://www.feiradolivrodesaoluis.com.br//

0 comentários:

Postar um comentário

Pousada do Buriti

Yes

Duvel