Prefeitura de São Luís

Assembleia Legislativa

quarta-feira, 24 de abril de 2019
Ação celebrou o Dia Nacional da Língua Brasileira de Sinais, 24 de abril, e reuniu educadores, estudantes, familiares e comunidade em evento que apresentou os avanços da gestão do prefeito Edivaldo na área


"Com libras eu sou Igual". Visando disseminar na sociedade esse sentimento da comunidade surda, que a Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), realizou nesta quarta-feira (24), o II Colóquio da Escola Municipal Integral Bilíngue. O evento, ocorrido no auditório da Faculdade Estácio, marca as celebrações pelo Dia Nacional da Língua Brasileira de Sinais (Libras), comemorado em 24 de abril, e abre um novo espaço de discussão acerca das políticas públicas de inclusão da gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior voltadas ao público surdo, os avanços na área e as novas perspectivas para a educação de surdos no município.

O II colóquio contou com a presença de alunos com a deficiência e seus familiares, professores e intérpretes de Libras, gestores e coordenadores escolares e representantes de órgãos afins à causa da comunidade surda. Participaram da mesa de debates a secretária adjunta de Ensino da Semed, Maria de Jesus Gaspar Leite; a superintendente de Educação Especial, Dalvina Amorim Ayres; a coordenadora da Escola Bilíngue, Erlene Régia Pires; o presidente da Associação dos Surdos do Maranhão (ASMA), Marke Vlademar Araújo; e a coordenadora do curso de Educação Física da Faculdade Estácio, Priscila Alves.

O II Colóquio, aberto com uma apresentação das crianças da Escola Municipal Integral Bilíngue, que entoaram por meio da língua de sinais o Hino de São Luís, teve ainda como subtema 'Libras: rompendo barreiras, criando possibilidades'. Segundo secretária adjunta de Ensino da Semed, Maria de Jesus Gaspar Leite, o objetivo do evento é também promover a cultura surda em todos os seus aspectos e disseminar na sociedade a importância do aprendizado de Libras, uma vez que o país tem nove milhões de cidadãos surdos.


"A educação inclusiva é uma prioridade na gestão do prefeito Edivaldo. Com as ações desenvolvidas com essa finalidade, conquistamos avanços significativos na garantia da acessibilidade linguística aos nossos alunos surdos. E a realização deste colóquio também é mais uma estratégia realizada no sentido de dialogar com a comunidade surda e a sociedade de modo geral para tornar a educação municipal cada vez mais inclusiva e garantir a cidadania plena dessas pessoas. Além disso, buscamos fortalecer nossas políticas na área para possibilitar que não apenas os profissionais da área e os alunos tenham acesso ao conhecimento de Libras, mas a sociedade de modo geral", observou a secretária adjunta da Semed, Maria de Jesus Gaspar Leite.

A superintendente de Educação Especial da Semed, Dalvina Amorim Ayres, também destacou os avanços na área, citando algumas estratégias, entre elas a Escola Integral Bilíngue Libras/Língua Portuguesa Escrita, o trabalho executado nas Salas de Recursos Multifuncionais e a participação de intérpretes da Língua Brasileira de Sinais no ensino regular para orientação aos alunos surdos.

"O colóquio nos oportuniza ampliar as discussões sobre as temáticas voltadas à comunidade surda, repensar as conquistas na área e dialogar com a sociedade em busca do fortalecimento das políticas educacionais de inclusão das pessoas surdas", frisou Dalvina Amorim.

No evento, a coordenadora da Escola Integral Bilíngue, Erlene Régia Pires da Silva, destacou a importância do evento como espaço de discussão dos temas de interesse da comunidade surda. "É um momento para relembrarmos as lutas, os desafios enfrentados e as conquistas obtidas até aqui, mas também de muita reflexão sobre a educação inclusiva que queremos, com o envolvimento do público surdo e da comunidade em geral", ressaltou ela.

Para a professora de Libras, Maria Francinete de Sousa, que também é surda, houve avanços que merecem destaque no município, como a realização de oficinas de Libras para familiares de pessoas com a deficiência e destinadas à comunidade. "Sabemos que ainda há muito a ser feito como política de inclusão, mas os progressos obtidos na área são muito significativos", relatou a professora.


A também professora Ranilda Santos Rocha, pontua avanços na política direcionada à inclusão de surdos no ensino regular e destaca a realização do Colóquio como fundamental para o fortalecimento das ações na área. "Precisamos mostrar para sociedade que nós existimos. E esse evento é um passo importante para avançarmos ainda mais na busca por melhorias voltadas ao público surdo", pontuou a professora.

Pensamento similar tem a dona de casa Maria Ruth Pinheiro, mãe da aluna surda Sara Pinheiro. "Antes não tínhamos a atenção que temos agora e víamos nossos filhos cada vez mais isolados pela dificuldade de aprendizagem nas salas de aula. Hoje, além de terem todo o suporte para a sua aprendizagem, nós também, familiares, temos oportunidades de participar de oficinas e aprender mais sobre a língua de sinais para ajudá-los e melhor orientá-los", reforçou ela.

AVANÇOS

Entre as estratégias implementadas pelo município, na gestão do prefeito Edivaldo visando à inclusão educacional de crianças surdas no ensino regular, estão a Escola Municipal Integral Bilíngue Libras/Língua Portuguesa Escrita, o Coral de Surdos da Unidade de Educação Básica (U.E.B.) Maria Alice Coutinho (Turu) e a implantação de cursos e formações para os educadores da rede e também para as famílias dos estudantes surdos.

Inaugurada em agosto de 2015, a Escola Municipal Integral Bilíngue Libras/Língua Portuguesa Escrita foi implantada pela Prefeitura, com o apoio da Associação dos Surdos do Maranhão (ASMA). Inicialmente funcionava na escola municipalizada Unidade Integrada (U.I.) governador Matos Carvalho, no Monte Castelo, e hoje está na U.E.B. Luís Viana, onde funciona atendendo aproximadamente 120 estudantes surdos.


Na Escola Integral Bilíngue, os estudantes surdos da Educação Infantil e do Ensino Fundamental até o 5º ano são alfabetizados na sua língua materna e em Libras. Depois são encaminhados para uma sala de aula de ensino regular, onde têm o auxílio de um intérprete.

Ainda com o objetivo de reforçar a política de inclusão, foram adquiridos recentemente 50 tablets para professores das salas de recursos multifuncionais, com aplicativo que permite que estudantes com qualquer tipo de deficiência na fala tenham autonomia na comunicação.
Atualmente, a rede municipal tem mais de 1.200 alunos matriculados na Educação Especial - nas salas de ensino comum, nas salas de recursos multifuncionais, ou em uma das sete salas de aula da Escola Municipal Bilíngue.

Para facilitar o processo de comunicação entre alunos surdos, professores, familiares e a comunidade em geral, a Prefeitura de São Luís também ampliou o número de cursos e formações para os docentes da rede, em especial para os professores das salas multifuncionais, e a extensão desses cursos também para os pais e demais familiares dos estudantes. Pais dos estudantes surdos da U.E.B Maria Alice Coutinho, já participam de cursos de Libras desde o ano passado. Também são realizadas na unidade oficinas de Libras para os estudantes ouvintes da escola, com o auxílio de um intérprete, para que o aprendizado da linguagem dos sinais amplie a comunicação entre alunos surdos e não surdos da escola.

0 comentários:

Postar um comentário

Pousada do Buriti

Yes

Duvel