Assembleia Legislativa

sexta-feira, 12 de julho de 2019
O Programa trata de temas como desperdício, armazenamento e manipulação correta dos alimentos


Todo bom maranhense, com certeza, já experimentou o famoso caldo de cana, comercializado por ambulantes nos centros comerciais de diversas cidades em todo o estado. Mas, quem diria que a bebida típica poderia ser transformada em um produto rentável e de potencial aceitação nacionalmente? O empresário bacabalense Marcelo Almeida viu no tradicional caldo de cana uma grande oportunidade de negócio e desenvolveu a ideia de vender a bebida envazada em copinhos.

Comercializando o produto em escala industrial desde 2017, recentemente, a empresa BioCana Brasil deu mais um passo importante ao obter a certificação do Programa Alimentos Seguros (PAS), que ensina técnicas sobre segurança de alimentos e auxilia na implantação de boas práticas e do Sistema APPCC (Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle) em negócios da área alimentícia. O programa é uma ação nacional com parceria do Sistema S (Sebrae, Senac, Sesi, Sesc), Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Para Eduardo Monteiro, gerente da BioCana, a certificação atesta a credibilidade e a transparência da empresa. “Essa conquista traz mais segurança e confiança para o consumidor e coloca a empresa no patamar de igualdade com as grandes indústrias. Nos orgulhamos ao dizer que, das 22 empresas que deram entrada no Maranhão para o processo de certificação do PAS, fomos os únicos que conseguimos o selo”, comemorou.

O Sebrae, que é parceiro da BioCana desde 2017, apoiou a empresa na obtenção do selo, por meio do Sebraetec, programa de orientações especializadas e customizadas para implementar soluções inovadoras nas empresas, subsidiando até 80% dos custos do projeto. “O suporte do Sebrae foi de extrema importância para nós. Arcamos apenas com 30% dos custos da consultoria que nos deu toda a orientação necessária”, ressaltou Eduardo.

Além deste último apoio via Sebraetec, a BioCana já fez uso de outros serviços do Sebrae, como o Comércio Brasil, que aproxima empresas de micro e pequeno porte a empresas âncoras, promovendo o acesso a mercados e a oportunidades de negócio. 

Em abril, por meio da participação no Programa Comércio Brasil, a BioCana foi uma das 11 MPEs maranhenses atendidas pela instituição que participaram da ação de promoção de produtos maranhenses, realizada no Mercado Municipal de São Paulo (SP) em parceria com o Sebrae em São Paulo. O objetivo era prospectar negócios junto a distribuidoras e empresas paulistas.

História de sucesso

O processo de abertura da empresa começou em 2010, mas, só em 2017 teve início a comercialização industrial do produto, isso porque muitas etapas tiveram de ser concluídas: registro da marca, realização de vários testes caseiros de durabilidade do produto envazado, construção da fábrica do zero - já que não existia nenhuma planta fabril específica para esse tipo de produto tão exclusivo - e mão de obra trazida de outros estados.

Iniciadas as vendas, o caldo de cana foi bem aceito, a princípio, em Bacabal (onde fica localizada a fábrica) e, em seguida, conquistou a capital São Luís e outras cidades maranhenses. Daí em diante, chegou rapidamente aos estados do Piauí, Ceará e Paraíba.

Atualmente, além do caldo de cana, a BioCana comercializa também sucos de manga, milho verde e o mix de açaí com caldo de cana e banana. E, está expandindo seu portfólio de produtos com a mais nova aposta da empresa, a água de coco, também distribuída em copos, como os demais produtos. Segundo Eduardo Monteiro, a meta de produção mensal da empresa é 100 mil copos de cada produto fabricado.

0 comentários:

Postar um comentário