Assembleia Legislativa

quinta-feira, 26 de setembro de 2019
Projeto é fruto de uma parceria nacional entre Embrapa e o Ministério da Cidadania, com apoio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e em São Luís, a Embrapa conta com a parceria da gestão do prefeito Edivaldo; primeira-dama Camila Holanda acompanhou a colheita


As crianças das Unidades de Educação Básica (U.E.B) Governador Jackson Kepler Lago, na Cidade Operária, e Augusto Mochel, na zona rural de São Luís, realizaram nesta quarta-feira (25) a primeira colheita do projeto Hortas Pedagógicas. O projeto é fruto de uma parceria nacional entre Embrapa e o Ministério da Cidadania, com apoio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Em São Luís, a Embrapa conta com a parceria da gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior, que reconhece a contribuição do projeto no processo de ensino-aprendizagem.

A primeira-dama Camila Holanda acompanhou a atividade na U.E.B Jackson Lago. "É lindo ver de perto a empolgação das crianças e acompanhar os resultados positivos desta grande articulação para a execução deste projeto. O Hortas Pedagógicas é um projeto muito importante, que vem contribuir com o trabalho desenvolvido pelo prefeito Edivaldo na área do ensino público e incentivar as crianças a aprenderem para além dos conteúdos ministrados em sala de aula e, ainda, replicar esse conhecimento às famílias", disse a primeira-dama.


As hortas implantadas nas U.E.Bs Governador Jackson Kepler Lago e Augusto Mochel fazem parte da etapa piloto do projeto que tem a perspectiva de se expandir no Maranhão pela Embrapa Cocais, que nesse processo conta com parceiros municipais e estaduais. A ação é desenvolvida com crianças do 1º ao 9º ano e alcança, ainda, os menores, da Educação Infantil. O objetivo do projeto Hortas Pedagógicas é, por meio da implantação de uma horta no ambiente escolar, trabalhar políticas de segurança alimentar e nutricional com crianças e adolescentes e, assim, elevar a qualidade das refeições.

"O grande objetivo deste projeto é melhorar o nível alimentar e nutricional dos estudantes, formando multiplicadores e ampliando o alcance da ação para a comunidade escolar e as famílias. A proposta é não só ensinar a plantar como também aplicar os conhecimentos em diversas outras áreas como matemática, geografia, português e outras, praticando esse conhecimento", enfatizou o chefe-adjunto de Transferência de Tecnologia da Embrapa Cocais, Carlos Vitoriano.


O secretário municipal de Educação, Moacir Feitosa, reforçou a proposta de utilizar a horta como um laboratório para aplicação do conteúdo adquirido em sala de aula. "É uma ação muito relevante, pois ela tem um alcance muito grande do ponto de vista formativo, considerando que toda a comunidade escolar acaba sendo influenciada positivamente. Esse é um projeto que se soma aos demais desenvolvidos pela gestão do prefeito Edivaldo com o objetivo de garantir a segurança alimentar nas escolas e, ainda, aperfeiçoar o processo de ensino", destacou.

O projeto contribui, observando por uma outra dimensão, com a autoestima das crianças, fazendo-as colher o resultado de um trabalho executado em etapas. "Eu aprendi tudo do jeito que ensinaram. A colocar a semente na terra, esperar e hoje a colher. Achei muito divertido", disse Joaquim da Silva, de 6 anos. "A gente que plantou tudo isso. Olha como ficou muito bonita", exclamou Débora dos Santos, também de 6 anos, mostrando a alface que acabara de colher.


Entre os alimentos plantados pelas crianças estão alface, quiabo, cheiro verde, pimenta de cheiro e melancia. Tudo o que foi plantado será inserido na alimentação escolar ou poderão ser levados para casa pelas crianças, incentivando o consumo dos alimentos orgânicos. Com 10 anos, Maria Eduarda Santos, também participou do projeto e contou o que aprendeu. "Aprendi que é importante a gente comer coisas saudáveis para ter boa saúde e evitar doenças. Achei muito interessante tudo o que aprendi aqui", disse a estudante sobre o projeto.

As atividades do Hortas Pedagógicas iniciaram em meados de 2018, com a mobilização dos parceiros e a seleção das escolas onde seriam implantadas as hortas. Ao longo de 2019, foram realizadas oficinas e formações com alunos, gestores, coordenadores, professores, merendeiras e nutricionistas. Entre os temas abordados estão o reaproveitamento de resíduos orgânicos e compostagem, formas de irrigação, plantio e semeadura de hortaliças.

Informação: Agência São Luís 

0 comentários:

Postar um comentário

Pousada do Buriti

Yes

Duvel