Assembleia Legislativa

quarta-feira, 2 de outubro de 2019
Mapa do Trabalho Industrial, do SENAI, mostra que energia e metalmecânica estão entre as áreas que mais vão exigir capacitação de técnicos; estudo também aponta a demanda nos níveis superior e de qualificação

O estado do Maranhão terá de qualificar 88.344 trabalhadores em ocupações industriais nos níveis superior, técnico, qualificação e aperfeiçoamento entre 2019 e 2023. Os dados são do Mapa do Trabalho Industrial, elaborado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) para subsidiar a oferta de cursos da instituição. Essas ocupações têm em sua formação conhecimentos de base industrial e por isso são oferecidas pelo SENAI, mas os profissionais podem atuar em qualquer setor da economia.

A demanda prevista pelo estudo inclui, em sua maioria, o aperfeiçoamento (formação continuada) de trabalhadores que já estão empregados. Em parcela menor (27%) estão aqueles que precisam de capacitação para ingressar no mercado de trabalho (formação inicial). Nesse grupo estão pessoas que vão ocupar tanto novas vagas quanto postos já existentese que se tornam disponíveis devido a aposentadoria, entre outras razões.

Além de subsidiar a oferta de cursos do SENAI, o Mapa do Trabalho pode apoiar jovens na escolha da profissão e trabalhadores que desejam se recolocar no mercado. “O profissional qualificado de acordo com a necessidade do mundo de trabalho tem mais chances de manter o emprego e também pode conseguir uma nova oportunidade mais facilmente quando as vagas forem oferecidas”, afirma o diretor-geral do SENAI, Rafael Lucchesi.

Segundo o diretor regional do SENAI, Raimundo Campelo Arruda, no Maranhão, a entidade está investindo em estruturas inovadoras para educar esses novos profissionais e atender as necessidades do mercado. “Além das áreas citadas no estudo, nas quais já temos disponível a maior parte dos cursos, é feito, continuamente, o investimento na revitalização de nossas bases tecnológicas, capacitação docente e inovação de nosso portfólio, oferendo novos cursos em áreas como automação industrial, Big Data, IoT  - Internet das Coisas, Indústria 4.0, entre outros”.

FORMAÇÃO DE TÉCNICOS – As áreas que mais vão demandar a capacitação de profissionais com formação técnica no Maranhão são transversais; energia e telecomunicações; metalmecânica; têxtil; e eletroeletrônica. Profissionais com qualificação transversal trabalham em qualquer segmento, como técnicos em eletrotécnica e técnicos de controle da produção.

Cursos técnicos têm carga horária entre 800h e 1.200h (1 ano e 6 meses) e são destinados a alunos matriculados ou egressos do ensino médio. Ao término, o estudante recebe um diploma. 

Áreas com maior demanda por formação - Técnicos
Áreas
Demanda 2019-2023
Transversais
3.208
Energia e telecomunicações
2.259
Metalmecânica
2.143
Têxtil
1.955
Eletroeletrônica
1.953
Ocupações industriais com maior demanda por formação dentro e fora da indústria - Técnicos
Ocupações
Profissionais a serem qualificados 
Coloristas
1.802
Técnicos em eletrônica
1.408
Técnicos de planejamento e controle de produção
1.202
Técnicos em operação e monitoração de computadores
1.129
Técnicos em eletricidade e eletrotécnica
1.105
Supervisores da construção civil
897
Técnicos mecânicos na fabricação e montagem de máquinas, sistemas e instrumentos
859
Técnicos em telecomunicações
571
Técnicos de controle da produção
535
Especialistas em logística de transportes
463

QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL – Já os cursos de qualificação são indicados a jovens ou profissionais, com escolaridade variável de acordo com o exercício da ocupação, e buscam desenvolver novas competências e capacidades. Ao final, o aluno recebe um certificado de conclusão.  As áreas que mais vão exigir a capacitação de trabalhadores com esse tipo de formação, de acordo com o Mapa do Trabalho Industrial 2019-2023 serão:

Áreas com maior demanda por formação – Qualificação (+200h)
Áreas
Demanda 2019-2023
Metalmecânica
6.260
Energia e telecomunicações
2.982
Alimentos
2.253
Eletroeletrônica
1.854
Construção
1.167
    
Áreas com maior demanda por formação – Qualificação (-200h)
Áreas
Demanda 2019-2023
Construção
16.113
Logística e transporte
10.316
Transversais
4.367
Metalmecânica
3.997
Alimentos
2.086


Segundo o Mapa, entre as ocupações que exigem cursos de qualificação e que mais vão demandar profissionais capacitados estão mecânicos de manutenção de máquinas industriais e trabalhadores de instalações elétricas:

Ocupações industriais com maior demanda por formação dentro e fora da indústria - Qualificação (+200h)
Ocupações
Profissionais a serem qualificados 
Mecânicos de manutenção de máquinas industriais
2.328
Trabalhadores de instalações elétricas
2.012
Mecânicos de manutenção de veículos automotores
1.545
Eletricistas de manutenção eletroeletrônica
1.305
Encanadores e instaladores de tubulações
1.007
Padeiros, confeiteiros e afins
992
Operadores de processos das indústrias de transformação de produtos químicos, petroquímicos e afins
838
Instaladores e reparadores de linhas e cabos elétricos, telefônicos e de comunicação de dados
818
Operadores de veículos sobre trilhos e cabos aéreos
746
Montadores de equipamentos eletroeletrônicos
549
Ocupações industriais com maior demanda por formação dentro e fora da indústria - Qualificação (-200h)
Ocupações
Profissionais a serem qualificados 
Motoristas de veículos de cargas em geral
6.758
Ajudantes de obras civis
6.752
Trabalhadores de estruturas de alvenaria
3.588
Alimentadores de linhas de produção
2.410
Trabalhadores de embalagem e de etiquetagem
1.862
Trabalhadores na operação de máquinas de terraplenagem e fundações
1.724
Trabalhadores operacionais de conservação de vias permanentes (exceto trilhos)
1.702
Magarefes e afins
1.698
Apontadores e conferentes
1.543
Trabalhadores da mecanização agrícola
1.383

Em relação ao nível superior, as áreas de gestão, informática e construção serão as que mais vão precisar qualificar profissionais no período de 2019 a 2023, de acordo com o Mapa do Trabalho:

Áreas com maior demanda por formação – Superior
Áreas
Demanda 2019-2023
Gestão
1.315
Informática
1.015
Construção
736
Mineração
297
Produção
260
Ocupações industriais com maior demanda por formação dentro e fora da indústria – Superior
Ocupações
Profissionais a serem qualificados
Analistas de tecnologia da informação
778
Engenheiros civis e afins
502
Gerentes de produção e operações em empresa da indústria extrativa, de transformação e de serviços de utilidade pública
328
Engenheiros de minas e afins
297
Engenheiros de produção, qualidade, segurança e afins
260
Engenheiros eletricistas, eletrônicos e afins
252
Arquitetos e urbanistas
154
Administradores de tecnologia da informação
147
Gerentes de manutenção e afins
139
Gerentes de suprimentos e afins
134

METODOLOGIA - O Mapa do Trabalho Industrial é elaborado a partir de cenários que estimam o comportamento da economia brasileira e dos seus setores; projeta o impacto sobre o mercado de trabalho e estima a demanda por formação profissional industrial (formação inicial e continuada). As projeções e estimativas são desagregadas no campo geográfico, setorial e ocupacional, e servem como parâmetro para o planejamento da oferta de cursos do SENAI.
Na opinião de Rafael Lucchesi, conhecer as necessidades do mercado é fundamental para o planejamento da oferta de formação profissional. “O SENAI é referência em educação profissional porque está alinhado com as necessidades da indústria e mantém seus cursos atualizados com o que existe de mais avançado em termos de tecnologia”, explica.
Raimundo Arruda, do SENAI Maranhão, reitera a opinião do diretor geral, e destaca que é preciso estar atento aos anseios do empresariado e do mercado. “As mudanças no mundo do trabalho exigirão novos conhecimentos, habilidades e atitudes profissionais. Habilidades físicas cederão espaço para as sistêmicas e cognitivas. Conhehecimento transversais, como resolução de problemas complexos, serão um diferencial no cenário futuro do trabalho”.
A instituição possui o Modelo SENAI de Prospecção, que permite prever quais serão as tecnologias utilizadas no ambiente de trabalho em um horizonte de cinco a dez anos. A metodologia já foi transferida a instituições de mais de 20 países na América do Sul e no Caribe. O método foi apontado ainda pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) como exemplo de experiência bem sucedida na identificação da formação profissional alinhada às necessidades futuras das empresas.
Informação: Fiema 

0 comentários:

Postar um comentário

Pousada do Buriti

Yes

Duvel