Assembleia Legislativa

sexta-feira, 1 de novembro de 2019

Uma coletiva de imprensa realizada na tarde desta quinta-feira (31), apresentou as principais ações desenvolvidas pelos órgãos, para a contenção do óleo que tem atingido o litoral maranhense.

A coletiva, ocorrida na sede da Capitania dos Portos do Maranhão, reuniu representantes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Instituto Chico Mendes de Conservação Ambiental (ICMBio), Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais (SEMA) e Marinha.

O objetivo foi levar à sociedade, as ações em andamento e reforçar a importância da participação de toda a população para a utilização dos canais de comunicação disponibilizados pelos órgãos, para denunciar e alertar as ocorrências relacionadas às manchas encontradas.

O número confirma que o Maranhão foi um dos estados menos afetados com esse desastre ambiental, que já atingiu mais de 250 localidades em 78 municípios dos nove estados do Nordeste brasileiro.

Segundo o Ibama, 12 pontos do litoral maranhense foram atingidos pelas manchas de óleo. Também foram divulgadas a quantidade de material já coletado e sua destinação final. De acordo com o Capitão dos Portos Marcio Ramalho Dutra, foram coletados 1.230kg de resíduos de óleo nas praias. Todo o material coletado será encaminhado para uma empresa privada parceira, que possui aterro sanitário licenciado para receber este tipo de produto. Você pode acompanhar os números no Portal Mancha no Litoral.

Para o secretário de meio ambiente do estado, a empresa “tem condições de oferecer, a partir da classificação Classe II tóxico perigoso, um destino adequado aos resíduos”, enfatizou Rafael Ribeiro. O secretário lembrou ainda que a coleta é feita em sacos adequados, para evitar o contato direto e assim , qualquer dano à saúde.

A analista ambiental do Ibama Ciclene Brito, pontuou que a maior parte do material encontrado no Maranhão é formado de vestígios de óleo, que são pelotas espaçadas da substância, e não de manchas, que são formações mais “elásticas contínuas e viscosas” de óleo. Ela também alerta que a população deve evitar entrar em contato com eventual material oleado encontrado e distinguir o óleo de algas ou outros de sedimentos orgânico do próprio litoral, como paleomangues (restos de vegetação de mangue).

PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS 

Foram disponibilizados números de telefone para que a população possa contatar as instituições, caso encontrem manchas de óleo.

Capitania dos Portos – 0800 098 8432
Emergências capitania dos Portos –185
Ibama – 0800 61 8080
Emergências Corpo de Bombeiros – 193
Secretaria do Governo – 2108 9000

Informação: Sema 

0 comentários:

Postar um comentário