Assembleia Legislativa

São João do Maranhão 2019

quarta-feira, 17 de abril de 2019

Pacientes em tratamento no Centro de Assistência Psicossocial Álcool e Drogas (Caps AD Estadual) iniciaram, nesta terça-feira (16), aulas de jiu-jítsu com o professor e mestre Márcio Bruno, responsável pelo projeto social Estrela de Davi. Inicialmente, 10 pessoas participarão da prática oferecida pela unidade ligada à Secretaria de Estado da Saúde (SES) em parceria com o professor voluntário. 

As aulas acontecerão as terças e quintas-feiras no Caps AD Estadual, às 17h. A proposta é que a atividade colabore com o fortalecimento psicossocial dos usuários do serviço, atuando no desenvolvimento da autoestima, perseverança, disciplina e superação. 

Segundo o diretor do Caps AD Estadual, Marcelo Costa, as aulas promovem a reinserção social, proporcionando aos pacientes incentivo à permanência no tratamento. “O esporte é muito importante para o tratamento de dependência química e também da depressão. A liberação de serotonina, endorfina e adrenalina podem potencializar o efeito relaxante, que a droga tinha antes no organismo deles”, comenta.

Para Rosenilton Silva, de 33 anos, que participou da primeira aula de jiu-jítsu no Caps AD Estadual, o treino ajuda no processo de reabilitação. "Eu já treinei boxe e karatê em outro momento. O jiu-jitsu era uma curiosidade que tinha - Gostei bastante. Se o professor observar que eu tenho chance de seguir carreira profissional não vou deixar a oportunidade passar", disse. 

Wagner dos Santos, de 36 anos, disse que o treino reúne benefícios para o corpo e mente. "Percebi que o treino mexe com todas as partes do corpo, inclusive a mente. Eu tinha curiosidade de conhecer o jiu-jitsu. Agora que está disponível no Caps no meu processo de reabilitação, resolvi aceitar a desafio e comecei a treinar", declarou Wagner.

Pela parceria, o professor Márcio Bruno dará as aulas voluntariamente no Caps AD Estadual, de quem receberá apoio na condução de pais de crianças assistidas pelo projeto social Estrela de Davi com problemas de dependência de álcool e outras drogas.  

Campeão mundial em 2018, Márcio Bruno usará com os pacientes o jiu-jítsu tradicional, com uma abordagem diferenciada, uma vez que o propósito é usar arte para reabilitação e não para treinamento de rendimento.  “A ideia não é a arte marcial em si, mas usamos o trabalho físico para fazê-los trabalhar o lado cognitivo. O objetivo é suar, trabalhando a disciplina e obediência, usando a mente para outra coisa”, diz o professor e pastor, que foi dependente químico há 11 anos e chegou a passar pelo centro.

Fonte: SES
Fotos: Julyane Galvão 
Texto: Paula Boueri/Marcos Atahualpa

0 comentários:

Postar um comentário

Pousada do Buriti

Yes

Duvel