Assembleia Legislativa

segunda-feira, 30 de setembro de 2019

Já nascemos com a obrigação de tomar café de manhã. Todo ser vivente que raciocine aprende que tomar café é um hábito cultural bastante apreciado no mundo e no Brasil não é diferente.

Nos últimos anos esse nosso hábito ganhou novos ares, novos horários e novo perfil. Tomar um cafezinho hoje pode ser simplesmente tomar um “pingado” de R$ 0,25 no boteco da esquina para dar “uma animada”, quanto uma saída “cult” para conversar com amigos ou fechar um grande negócio numa cafeteria da moda, que a propósito, serve cafés de R$ 33,00.

O café é fruto do cafeeiro. Torrados os grãos, vira uma bebida forte, marcante e de inegável poder funcional no organismo. A comunidade médico-científica afirma que previne doenças atuando no sistema nervoso central provocando um efeito estimulante. Eis aí, por que tanta gente toma para espantar o sono. Seu consumo mode-rado desperta o sistema de vigília e as capacidades intelectuais são “acordadas” como a atenção, a concentração e a memória.

Há indícios de sua apreciação desde tempos remotos da Etiópia no ano 600 d. C. Desse tempo pra cá, o café já esteve à frente de vários debates sobre sua importância na balança comercial brasi-leira, chegando inclusive a ser o segundo produto mais negociado no mundo pelo valor monetário em meados da década de 80 do século passado, perdendo apenas para o petróleo. Em dias atuais, já não desfruta do mesmo poder comercial, mas permanece vivo no cotidiano dos brasileiros.

A cafeína, alcalóide do grupo das xantinas não é o único a impor sua marca no café. A bebida possui também potássio, zinco, ferro, magnésio, vários aminoácidos, proteínas, lipídeos, açúcares e polissacarídeos. Essa conjunção de elementos após a torra do fruto permite um aroma característico e irresistível para muitos.

A bebida agora também é estudada em Curso Superior destacando-se como segmento de merca-do, assim como seus colegas igualmente estrelados: o vinho, a cerveja, a cachaça, os chás e as águas. Tem também um profissional especializado em cafés de alta qualidade. O Barista tem um sonho de alcançar a “xícara perfeita”. Para isso inventa e tenta vários drinks misturando cremes, frutas, chocolates, sorvetes, bebidas alcóolicas, jussara e tudo mais que sua imaginação permitir. O merca-do está em ebulição e o cheirinho do café invadin-do todos os lugares.

O ato de tomar café transformou a vinda de uma das maiores franquias do gênero no mundo para o Brasil, como uma das maiores transações e apostas comerciais dos últimos tempos. A STAR-BUCKS COFFEE COMPANY chegou ao Brasil quebrando barreiras e transformando o nosso ca-fezinho de todo dia num ato, digamos, solene. São Luís também acompanha essa evolução e já dispõe de boas opções inclusive com franquia consolida-da em mercados mais maduros, como São Paulo, por exemplo.

Então da próxima vez que alguém convidar você pra tomar um cafezinho, respire fundo, concentre-se e aproveite o momento. Seja no bo-teco “pé sujo” ou naquele shopping chique!

Texto Originalmente publicado na Edição  N° 50 junho 2008 do Jornal Cazumbá
Foto Ilustrativa/Internet 

0 comentários:

Postar um comentário

Pousada do Buriti

Yes

Duvel