Assembleia Legislativa

quarta-feira, 3 de julho de 2019

No último final de semana, como parte do meu roteiro de férias, retornei a Barreirinhas para refazer passeios pela região.  A cidade estava em sua capacidade máxima em número de turistas.  Passeios lotados, meios e hospedagens com alta taxa de ocupação e empresas felizes  com grande arrecadação. 

Durante o passeio de balsa, no entanto, tive minha atenção voltada para um tema super urgente e importante: o voucher digital, ferramenta usada no processo de vendas e operacionalização de passeios nos Lençóis Maranhenses está suspenso. Oi? Como suspender um serviço que por tantos anos os empresários locais lutaram tanto?

Após apuração desde inquieto que vos fala, o motivo alegado para a suspensão foi a completa falta de compromisso e transparência na prestação de contas por parte do poder público.

O Voucher digital estava em operação há 14 meses e o retorno esperado pela comunidade não atendeu ao mínimo de expectativas esperado, nem ao menos dois banheiros públicos solicitados como retorno urgentes, foram entregues aos turistas.


Os empresários participantes do Conselho Municipal de turismo – COMTUR, em reunião realizada no último dia 12/06 resolveram paralisar a emissão do voucher até que a Prefeitura responda o ofício enviado. Vale ressaltar que não houve e nem há nenhuma má vontade por parte do empresariado em usar o voucher digital, pelo contrário, o uso, que veio depois de quase uma década de muitas discussões, muita luta e debates, foi implementado com o objetivo de servir a cidade e os turistas, que são a maior razão de ser do turismo.

A paralisação é geral com quase 100% de adesão, com exceção de 4 agências, que não conseguimos apurar os motivos pelos quais, não estão junto com a grande maioria do empresariado local.

Após o exposto, há perguntas que não querem calar: como pode uma experiência premiada nacionalmente e que tenha chancela do SEBRAE local, pode não ter êxito? Como o poder público pode não ter a responsabilidade de prestar contas com a comunidade prioritariamente interessada? Como pode uma prefeitura, que tem sua arrecadação baseada em turismo, não levar em consideração sua importância?

Acredito que uma prestação de contas urgente seja o primeiro passo para que a experiência do Voucher único volte a ser um instrumento turístico e que a premiação tão amplamente divulgada  não se transforme num vexame nacional.

Sobre toda essa problemática, tentamos falar com a Secretária de turismo de Barreirinhas e também com administração do Sebrae da região, mas não tivemos respostas. 

0 comentários:

Postar um comentário

Fiema

Pousada do Buriti

Yes

Duvel